Após uma vitória apertada no primeiro turno, o candidato do PSOL à Prefeitura de Belém, Edmilson Rodrigues, resolveu partir para o ataque contra seu adversário no segundo turno, Zenaldo Coutinho (PSDB).

Desde ontem, quando recomeçou a propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV em Belém, a campanha de Edmilson passou a veicular uma inserção dizendo que o tucano recebe por ano R$ 456 mil como deputado federal e, ainda assim, só apresentou dois projetos de lei.

“Você não acha que é um pouco demais para quem quer ser prefeito de Belém?”, questiona o apresentador do vídeo, que está sendo veiculado nas inserções de 30 segundos na televisão.

Procurado, Zenaldo afirmou que “mentira tem perna curta” e diz que está se preparando para rebater as críticas durante os debates.
No primeiro turno, Edmilson liderou as pesquisas e, por isso, virou alvo prioritário de ataques dos adversários.

Edmilson chegou a aparecer com 42% das intenções de voto durante a campanha. Nas urnas, obteve 32% dos votos válidos. Zenaldo começou com 12% nas pesquisas e, no dia da eleição, teve 30%.

O apoio do governador Simão Jatene (PSDB) ajudou a alavancar a candidatura de Zenaldo, que tinha o maior tempo de televisão no primeiro turno.

Agora, Edmilson atraiu o PT para seu arco de alianças, enquanto Zenaldo ganhou o apoio do PP. Ainda está indefinido o apoio do PMDB, comandado pelo senador Jader Barbalho.

O prefeito atual de Belém é Duciomar Costa (PTB). Seu candidato, Anivaldo Vale (PR), ficou em quarto lugar, com 7%. Nenhum dos dois declarou apoio a outro candidato até o momento.