A manicure Sirlei Brisida, 44 anos, registrou a candidatura à vereadora em Medianeira, no Oeste do Paraná, nas eleições municipais de 2008, mas não fez campanha.

Não pediu votos nem para a família, mas votou em si mesma: foi o único voto que teve – e é ele que deve garantir a posse dela como vereadora, na próxima semana, depois que o PPS conseguiu, no último dia 16, cassar no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) o mandato do então vereador Edir Josimar Moreira (PSDB), por infidelidade partidária. Os outros 11 suplentes também trocaram de legenda nos últimos três anos e, assim, Brisida é a única com condições de assumir a vaga.

“Eu acho que vou fazer o melhor por Medianeira. Moro aqui há mais de 30 anos e vou trabalhar pelo bem da população”, falou a manicure, em entrevista por telefone, na manhã desta quinta-feira (31). Depois de pensar um pouco, completou: “Vou procurar defender a saúde”.

Mãe de dois filhos, uma moça de 24 anos e um rapaz de 18 anos, Brisida está afastada do trabalho por conta de dores no braço após uma cirurgia de reconstituição da mama após combater um câncer.

A luta contra a doença, aliás, foi o motivo de ela desistir da eleição em 2008, quando já tinha feito a cirurgia de retirada da mama e ainda tratava as sequelas da operação.

A manicure deve integrar a oposição ao prefeito Elias Carrer (PMDB) e dividir as forças no Legislativo, que, até então, era dominada pela situação. Ela será a quarta integrante da oposição entre os nove vereadores, explicou o presidente da Câmara Municipal de Medianeira, Jean Rogers Bogoni (PMDB).

Ele garantiu que deve convocá-la na próxima semana para tomar posse como vereadora. “Nós fomos informado (da decisão do TRE-PR) no dia 28 e o prazo começou a contar no dia 29. Então, posso fazer a convocação até dia 7. Provavelmente, dia 5, no máximo dia 6, convoco ela.” “Ela vai ter que me trazer a documentação, a prestação da contas e o diploma da Justiça Eleitoral”, completou.