enkontra.com
Fechar busca

Política

57 milhões de votos!

Bolsonaro toma posse nesta terça-feira! Acompanhe em tempo real!

  • Por Gazeta Do Povo

Eleito com mais de 57 milhões de votos, Jair Bolsonaro (PSL) tomou posse na Presidência da República para um mandato de quatro anos, nesta terça-feira (1º), em cerimônia na capital federal. Ele é o 38.º presidente da história do Brasil e o 5º mandatário eleito pelo voto direto desde a redemocratização do país, depois de 21 anos de governos militares escolhidos indiretamente.

Curiosamente, a posse de Bolsonaro marca o retorno dos militares ao poder, desta vez pelas urnas. Capitão aposentado do Exército e admirador do regime militar (1964-1985), o novo presidente convidou vários oficiais da reserva das Forças Armadas para compor o seu governo. Inclusive o vice-presidente, o general Hamilton Mourão, que também será empossado nesta terça.

Ao vestir a faixa presidencial, Bolsonaro estará colocando fim a um período de 16 anos de governos do PT e de seus aliados. O novo chefe do Executivo é o símbolo da “nova direita” brasileira: liberal na economia e conservadora nos costumes, num fenômeno que tem potencial para mudar profundamente o rumo político e social do Brasil pelas próximas décadas.

View this post on Instagram

– Palavras antes da posse! – Um forte abraço a todos!

A post shared by Jair M. Bolsonaro (@jairmessiasbolsonaro) on

O evento de posse de Jair Bolsonaro começa oficialmente às 14 horas, com cerimônias no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto, sendo finalizado com um coquetel no Palácio do Itamaraty para 2,5 mil convidados. Cerca de 500 mil pessoas devem acompanhar o ato histórico na Esplanada dos Ministérios.

A reportagem acompanha tudo em tempo real. Acompanhe!

Redação
Da redação

Até mais!

A Gazeta do Povo encerra a cobertura em tempo real da posse de Jair Bolsonaro. Agradecemos os nossos leitores por nos acompanhar. Até mais!

Redação
Da redação

Recepção no Itamaraty

Depois das solenidades no Congresso e no Palácio do Planalto, Bolsonaro irá participar de uma recepção a convidados no Palácio do Itamaraty. Essa etapa da posse é fechada à imprensa.

Redação
Da redação

Bolsonaro agradece Trump

Bolsonaro agradeceu, por meio de sua conta no Twitter, os cumprimentos do presidente dos EUA, Donald Trump: "Eu realmente gostei de suas palavras de encorajamento. Juntos, sob a proteção de Deus, nós traremos prosperidade e progresso aos nossos povos". Trump havia dito, também por meio do Twitter, que Bolsonaro havia feito um grande discurso de posse e que os EUA estavam com o presidente brasileiro.

Redação
Da redação

Posse na Bahia

(Estadão Conteúdo). O governador reeleito da Bahia, Rui Costa (PT), tomou posse nesta terça-feira e disse que um de seus projetos é levar água potável e saneamento básico para os bairros mais pobres e zonas rurais da Bahia. "Levar água para as pessoas é levar saúde em estado líquido", disse. Rui Costa discursou na Assembleia Legislativa da Bahia, onde ele e seu vice, João Leão (PP) foram tomar posse para o segundo mandato frente à Executivo baiano.

Redação
Da redação

Posse no Maranhão

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), foi empossado para o segundo mandato nesta terça. A cerimônia foi realizada na Assembleia Legislativa do Maranhão e comandada pelo presidente da Casa, o deputado estadual Othelino Neto (PCdoB). No Twitter, Dino convidou apoiadores e partidários a comparecer a uma cerimônia de "posse popular" na frente à sede do governo do Estado, o Palácio dos Leões.
Em seu discurso de posse Flávio Dino, destacou equilíbrio fiscal, honestidade e transparência, garantia dos direitos humanos, e desenvolvimento econômico entre os seus principais compromissos para sua segunda gestão. "Esse momento tem a nota da continuidade, mas também a da mudança. Com esses compromissos, já daremos hoje início a novos programas"

Redação
Da redação

Foto oficial da equipe ministerial

Bolsonaro e os 22 ministros tiraram a foto oficial da equipe do novo governo. Com isso, está encerrada a solenidade de posse dos ministros.

Redação
Da redação

MP reduz número de ministérios

Bolsonaro assinou sua primeira medida provisória (MP): a que reduz a estrutura do governo de 29 para 22 ministérios.

Redação
Da redação

Presidente do BC

Bolsonaro assina a mensagem indicando, para aprovação do Senado, o economista Roberto Campos Neto para a presidência do Banco Central. Esse cargo tem de passar pela aprovação do Senado.

Redação
Da redação

115 mil brasileiros na posse

Segundo o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, 115 mil brasileiros compareceram à posse de Bolsonaro. É uma multidão. Mas bem abaixo dos 500 mil que eram esperados. A foto da multidão na Esplanada é de Nelson Almeida, da AFP.

Redação
Da redação

Moro é o 1.º ministro empossado

Começa a cerimônia de posse dos ministros. O primeiro a ser empossado é Sergio Moro, da Justiça e Segurança.O segundo, Onyx Lorenzoni (Casa Civil). Na sequência, todos os demais 20 ministros estão sendo empossados.

Redação
Da redação

Multidão começa a se dispersar

A multidão que esperou para ouvir Bolsonaro na Praça dos Três Poderes já está se dispersando. A imagem de Nelson de Almeida, da AFP, mostra momentos em que a praça estava lotada.

Redação
Da redação

Posse dos ministros

Terminada a solenidade de cumprimento das delegações estrangeiras, Bolsonaro vai dar posse aos seus 22 ministros.

Redação
Da redação

Dez chefes de Estado ou de governo na posse

Dez chefes de Estado e/ou de governo a cumprimentar Bolsonaro pessoalmente foram: Evo Morales (presidente da Bolívia), Sebastián Piñera (presidente do Chile), Marcelo Rebelo de Sousa (presidente de Portugal), Tabaré Vázquez, (presidente do Uruguai), Mario Abdo Benítez (presidente do Paraguai), Juan Orlando Hernández (presidente de Honduras), Jorge Carlos Fonseca (presidente de Cabo Verde), Viktor Orbán (primeiro-ministro da Hungria), Benjamin Netanyahu (primeiro-ministro de Israel) e Saadeddine Othman (primeiro-ministro do Marrocos). Há representantes de diversos outros países, mas com cargos menores.

Redação
Da redação

Posse no Rio Grande do Sul

(Estadão Conteúdo). O governador eleito do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), tomou posse do cargo, com o vice-governador Delegado Ranolfo (PTB). A cerimônia foi realizada na Assembleia Legislativa do Estado. Aos 33 anos, Leite é o governador mais jovem do País. Após a cerimônia, Leite vai se dirigir ao Palácio Piratini para transmissão do cargo pelo ex-governador José Ivo Sartori (MDB).

Redação
Da redação

Bolsonaro recebe chefes de Estado

Bolsonaro agora recebe os cumprimentos de chefes de Estado e governo e de representantes de delegações estrangeiras que compareceram à posse.

Redação
Da redação

Fim do discurso

"Podem contar com toda a minha dedicação", diz Bolsonaro, que novamente agradece a Deus por estar vivo. "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos". Depois ele pegou uma bandeira do Brasil e disse: "Essa é nossa bandeira, que jamais será vermelha", finaliza o discurso com a multidão gritando "Mito". A imagem é de Nelson Almeida, da AFP.

Redação
Da redação

A favor da polícia e contra o bandido

Bolsonaro fala que é urgente acabar com a ideologia que defende bandidos e criminaliza policiais. Também discursou a favor do direito de propriedade e da legítima defesa. Falou contra a doutrinação de crianças nas escolas. "Vamos retirar o viés ideológico de nossas relações internacionais."

Redação
Da redação

Sem barreiras e pedágios

"O brasileiro pode e deve sonhar. Sonhar com uma vida melhor. (...) Ao governo cabe ser honesto e eficiente (...) ao invés de criar pedágios e barreiras", diz Bolsonaro.

Redação
Da redação

"Ideologias nefastas"

"Graças a vocês, conseguimos montar um governo sem conchavos e acertos políticos, diz Bolsonaro. "Mas ainda há muito desafios pela frente", disse, ao se referir as "ideologias nefastas". Ele critica a corrupção e os privilégios.

Redação
Da redação

Respeito à Constituição e Deus

Bolsonaro fala em união nacional para colocar em prática o projeto que a maioria escolheu, respeitando a Constituição e com Deus no coração.

Redação
Da redação

Libertação do socialismo

Bolsonaro diz que sua eleição representa a liberação do socialismo. "As eleições deram voz a quem não era ouvido".

Redação
Da redação

Bolsonaro agradece a Deus

Bolsonaro começa a falar, também com interpretação de libras; "Esse momento não tem preço: servir à pátria como chefe do Executivo. isso só esta sendo possível porque Deus preservou a minha vida."

Redação
Da redação

Michelle discursa em libras

Michelle Bolsonaro discursa antes do presidente, falando em libras (com tradução de uma intérprete). Ela agradece o apoio da população e o filho de Bolsonaro Carlos pelo apoio recebido durante o período em que o agora presidente esteve internado após a facada. Michelle fala que o cidadão brasileiro quer segurança e paz. Ela se dirige à comunidade surda e dos deficientes: "Vocês serão respeitados" (nesse momento, a intérprete se emocionou e quase chorou). A foto é de Carl de Souza, da AFP.

Redação
Da redação

Tradução de libras do hino

Um tradutor de libras, linguagem de sinais, que está ao lado de Michelle Bolsonaro, traduz a letra do hino nacional para pessoas com deficiência auditiva. Michelle é militante da causa dos surdos e mudos.

Redação
Da redação

Bolsonaro com a faixa no peito

Temer passa a faixa para Bolsonaro. Em seguida, o novo presidente vai discursar para a multidão que está na Praça dos Três Poderes. A foto é de Carl de Souza, da AFP.

Redação
Da redação

Bolsonaro vai receber a faixa

Bolsonaro e Temer chegam ao parlatório, para a solenidade de transferência da faixa presidencial.

Redação
Da redação

Bolsonaro sobe a rampa do Planalto

Bolsonaro, emocionado com os gritos de "Mito" de seus apoiadores, sobe a rampa do Planalto ao lado da primeira-dama, Michelle. No alto da rampa está Michel Temer. A foto é de Carl de Souza, da AFP.

Redação
Da redação

Prestigiando o filho Carlos

(Estadão Conteúdo). A presença do vereador do Rio Carlos Bolsonaro, um dos cinco filhos do presidente eleito, Jair Bolsonaro, no Rolls Royce que conduziu o pai e a primeira-dama Michelle no desfile de posse foi uma deferência pelo trabalho dele na campanha. Auxiliares do novo presidente que estão no Planalto para a transmissão de cargo chegaram a demonstrar surpresa quando viram, num telão, Carlos no veículo. Depois, relataram que Bolsonaro tinha manifestado nos últimos dias intenção de reconhecer em público as ações de Carlos nas redes sociais.Não é a primeira vez que um filho de presidente entra no carro. Paula, filha da ex-presidente Dilma Rousseff, esteve ao lado da mãe nos desfiles de posse de 2011 e 2015. Na foto de Carl de Souza, da AFP, Carlos é quem está logo atrás de Bolsonaro.

Redação
Da redação

Posse em Sergipe

(Estadão Conteúdo). Reeleito governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD) tomou posse de seu segundo mandato há pouco, em cerimônia na Assembleia Legislativa do Estado. Também foi empossada a vice-governadora, Eliane Aquino (PT). Após a cerimônia, Chagas passará em revista às tropas da Polícia Militar de Sergipe, que respondem ao governo do Estado.

Redação
Da redação

Posse no Ceará

(Estadão Conteúdo). O governador reeleito do Ceará, Camilo Santana (PT), tomou posse para o segundo mandato da gestão, com a vice-governadora Maria Izolda Cela (PDT). A cerimônia foi realizada em sessão solene no Plenário 13 de Maio, da Assembleia Legislativa do Estado. O evento foi conduzido pelo presidente do Poder Legislativo, deputado Zezinho Albuquerque (PDT). O horário da solenidade coincidiu com o da posse do presidente Jair Bolsonaro, e por isso, Camilo não compareceu ao evento em Brasília. Entre as autoridades que acompanham a posse, está presente o ex-governador do Estado Ciro Gomes (PDT). Quando anunciado o nome do ex-governador na plateia, a sessão foi tomada por fortes aplausos.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Canhão

As salvas de tiros de canhão por parte do Exército Brasileiro simbolizam a conclusão da cerimônia de posse de Jair Bolsonaro no Congresso Nacional.

Redação
Da redação

Salva de tiros

Agora, Bolsonaro passa as tropas em revista. E presencia uma salva de 21 tiros de canhão ao sim do hino nacional.

Redação
Da redação

Bolsonaro deixa o Congresso

Bolsonaro finalmente está saindo do Congresso para se dirigir ao Palácio do Planalto, onde receberá a faixa presidencial de Michel Temer.

Kelli Kadanus
Repórter da Gazeta do Povo

Delegações estrangeiras

(Estadão Conteúdo): Um total de 46 delegações estrangeiras participam da cerimônia de posse do presidente Jair Bolsonaro, informouo Itamaraty. Estão presentes os chefes de Estado ou governo da Bolívia, Evo Morales, Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, Chile, Sebastián Piñera, Honduras, Juan Orlando Hernández, Hungria,Viktor Orbán, Israel, Binyamin Netanyahu, Marrocos, Saadeddine Othmani, Paraguai, Mario Abdo, Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, e Uruguai, Tabaré Vázquez. Também participam dos festejos três vice-presidentes, 12 chanceleres, três diretores de organismos internacionais e 18 enviados especiais.

Redação
Da redação

"EUA estão com você"

O presidente dos EUA, Donald Trump, usou sua conta no Twitter para cumprimentar Bolsonaro pela posse. "Congratulações ao presidente @JairBolsonaro, que fez um grande discurso de posse. Os EUA estão com você!", escreveu Trump.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Em entrevista exclusiva à Gazeta do Povo, o prefeito de Salvador, ACM Neto, disse ter considerado "válida" a pré-candidatura de Rodrigo Maia a presidente da República. O projeto foi lançado em março e abortado em julho do ano passado, após o deputado não decolar nas pesquisas. Segundo ACM, a iniciativa fortaleceu o DEM nos estados e abriu caminhos para que a legenda possa lançar "num futuro não muito distante" um candidato próprio à presidente da República - algo que não ocorre desde 1989, quando a sigla ainda se chamava PFL. Perguntado se ele poderia ser esse candidato, ACM disse: "não sei, é muito cedo para falar sobre isso". O prefeito está em seu segundo mandato no comando de Salvador, e ficará sem cargos públicos a partir de 2021.

Kelli Kadanus
Repórter da Gazeta do Povo

Restrições ao trabalho da imprensa

(Estadão Conteúdo): As restrições impostas pelo Itamaraty ao trabalho da imprensa na cobertura da posse do presidente Jair Bolsonaro levaram quatro jornalistas estrangeiros a deixar o Ministério das Relações Exteriores como forma de protesto.
Ao contrário do que houve em posses anteriores, quando a imprensa tinha liberdade para circular pelo ministério e entre os poderes, dessa vez os profissionais de imprensa foram confinados em uma sala de imprensa sem janelas instalada na sala San Tiago Dantas.

Redação
Da redação

#PossePresidencial na cabeça

(Estadão Conteúdo) A posse de Jair Bolsonaro como presidente da República do Brasil é o assunto mais comentado no Twitter mundial neste momento, com a hashtag #PossePresidencial. Também dominam as trending topics da rede social o vice-presidente recém-empossado, general Hamilton Mourão, e o tema "Fora Bolsonaro".

Kelli Kadanus
Repórter da Gazeta do Povo

Críticas ao discurso

(Estadão Conteúdo): Ausentes na cerimônia de posse do presidente Jair Bolsonaro no Congresso Nacional, parlamentares de oposição usaram as redes sociais para criticar o discurso feito por Bolsonaro no evento. Os primeiros comentários de oposicionistas tiveram como alvo a menção feita pelo presidente à meritocracia e usaram como argumento o discurso de que a fala não citou medidas para melhorar a vida da população.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

O prefeito de Salvador ACM Neto, presidente nacional do DEM, diz que seu partido vai definir em fevereiro se participará em definitivo da base de Bolsonaro. Ele também afirmou esperar que o governo Bolsonaro se mantenha neutro na disputa para a Presidência da Câmara - que tem Rodrigo Maia como favorito. O DEM tem três ministros: Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Tereza Cristina (Agricultura) e Mandetta (Saúde).

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Cláudio Lamachia, presidente da OAB, afirmou que "todos temos que torcer por uma pauta de respeito à Constituição e aos direitos". Ele também disse que a OAB defende um pacto entre os três poderes.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

"Discurso firme"

O deputado Efraim Filho (DEM-PB) disse que a fala de Jair Bolsonaro foi firme e "apontou caminhos" para o país. Ele disse estar otimista para a gestão do presidente..

Redação
Da redação

Daqui a pouco, a solenidade da faixa

Terminada a solenidade de posse no Congresso, Bolsonaro vai ao Palácio do Planalto, onde recebe a faixa presidencial das mãos de Michel Temer. Depois, discursa para a multidão.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Saída

O presidente Bolsonaro e as outras autoridades começam a deixar o Congresso, sem falar com a imprensa.

Redação
Da redação

Encontro Brasil/EUA

(Estadão Conteúdo). O ministro das Relações Exteriores, embaixador Ernesto Araújo, deverá reunir-se nesta quarta-feira (2) com o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, que representa o governo dos Estados Unidos na posse do presidente Jair Bolsonaro, informam fontes. Outra reunião bilateral programada para a manhã desta quarta-feira é com o ministro das Relações Exteriores de Angola, Manuel Domingos Augusto. Hoje, Araújo tinha reuniões programadas com os ministros das Relações Exteriores de Guiana, Carl Greenidge, e da Sérvia, Ivica Dacic.

Redação
Da redação

Reunião ministerial na quinta-feira

(FOLHAPRESS) - O novo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta terça-feira (1) que Bolsonaro convocou uma reunião ministerial para a quinta-feira (3). No encontro, serão discutidas medidas que podem ser tomadas pelo novo governo. De acordo com Onyx, Bolsonaro assina já nesta terça a medida provisória que promove uma reforma administrativa e reduz o número de ministérios. Os decretos para a reestruturação das pastas também já estão prontos.

Redação
Da redação

Bolsonaro terá porta-voz

(FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro anunciará o nome de um porta-voz para contatos com a imprensa até quinta-feira (3). A informação é de Floriano Barbosa, escolhido por Bolsonaro para comandar a Secom (Secretaria de Comunicação Social). O porta-voz terá como função a relação com jornalistas, enquanto o chefe da Secom cuidará de contratos de publicidade e da comunicação institucional do governo.

Redação
Da redação

Bretas em campanha para o STF?

(Folhapress e Estadão Conteúdo) O juiz federal responsável pelos processos da Lava Jato no Rio de Janeiro, Marcelo Bretas, foi um dos principais personagens da posse de Bolsonaro. Primeiro, pegou uma carona no voo da FAB (Força Aérea Brasileira) a convite do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), para participar da posse em Brasília (detalhe: Maia é investigado pela Lava Jato). Além disso, ele também é um dos convidados para a festa de posse no Itamaraty, evento restrito a convidados especiais do presidente. Bretas é cotado para ser indicado por Bolsonaro a uma das próximas vagas a serem abertas no STF (Supremo Tribunal Federal). Os ministros Celso de Mello e Marco Aurélio Mello completarão 75 anos em 2020 e 2021, respectivamente, e terão de deixar o cargo. Sobre um possível convite para participar do governo Bolsonaro, Bretas respondeu que "não nega, nem confirma". "Não falo sobre esses assuntos. Não nego, não confirmo”, disse o juiz.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Convergência

Eunício diz que gestão atual do Congresso não deixa "pauta bomba" e nem "herança maldita" a Jair Bolsonaro. Ele menciona temas como a PEC do teto e a reforma trabalhista, aprovadas após o impeachment de Dilma Rousseff.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Saudação

O presidente do Congresso, Eunicio Oliveira, fala para Bolsonaro. Diz que a Presidência da República converge as esperanças e os anseios da sociedade. Mas ressalva a importância dos outros poderes e da Constituição para a harmonia administrativa. "Vejo em vossas excelências a vontade do exercício do contraditório e do diálogo", acrescentou. Fala do senador - que perdeu as eleições em outubro e estará sem mandato em 2019 - foi de defesa do parlamento.

Redação
Da redação

Menos fiscalização

(FOLHAPRESS) - A futura ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou nesta terça-feira (1), na Câmara, que pretende fazer uma experiência de redução da fiscalização com os frigoríficos e os setores de bebidas e fertilizantes. Ao dizer que o ministério não tem "pernas" para cobrir todas as áreas, disse que a diminuição da fiscalização de carnes é uma medida que não acontecerá da noite para o dia. Segundo ela, o ministério irá cobrar de cada setor uma responsabilidade pela qualidade de seu produto.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Lema

O discurso de Bolsonaro foi encerrado com o lema da campanha do presidente: "Brasil acima de tudo, Deus acima de todos".

Olavo Soares
Repórter em Brasília

O presidente afirmou que as gestões anteriores levaram o país à maior crise "ética, econômica e moral da nossa história".

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Equipe

Bolsonaro afirma que montou uma equipe com caráter técnico, sem levar em conta as indicações políticas. Falou também que seu governo se empenhará para o respeito a contratos e propriedades. Ao destacar a importância das reformas, o presidente não mencionou a que reformas se refere.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

União

O presidente pediu união do povo e defesa das famílias, com "combate á ideologia de gênero" e respeito "às tradições judaico-cristãs". Ele falou que a campanha eleitoral que deu a ele a vitória "se transformou num movimento cívico".

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Agradecimentos

Bolsonaro agradeceu os médicos da Santa Casa de Juiz de Fora, que o atenderam e "salvaram a minha vida" após o atentado de setembro do ano passado.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Discurso

Bolsonaro inicia seu discurso, saudando as autoridades presentes. Quando foi chamado a falar, gritos de "mito" eclodiram na plateia.

Redação
Da redação

Ministro da Educação promete ensino militar

(FOLHAPRESS) - Ao chegar para a posse de Jair Bolsonaro, o futuro ministro da Educação, Ricardo Vélez, disse que a pasta terá uma secretaria para cuidar de ensino cívico-militar. "Não se trata de militarização, se trata de racionalização daquelas escolinhas municipais que queiram participar de um projeto com a presença [de militares]", afirmou. Vélez disse que uma parceria cívico-militar em escolhas públicas já está em estudo por sua equipe e que os custos seriam baixos. A ampliação de colégios militares é uma promessa de campanha de Bolsonaro, que já anunciou que pretende ter ao menos uma unidade por estado do Brasil. O futuro ministro falou ainda sobre a possibilidade de cobrança de mensalidades em universidades públicas. Como exemplos, citou modelos usados nos EUA e na Colômbia. Segundo ele, a medida teria de passar por uma discussão no Congresso e com a sociedade e levaria em conta a declaração de renda de cada estudante. "Tem que ser discutida nos canais competentes: Congresso, e fazer um amplo debate da sociedade. Não é uma coisa que vai cair como um raio do céu. Não é uma solução miraculosa", afirmou.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Novo cargo

Ao assumir a Presidência da República, Bolsonaro renuncia automaticamente ao mandato de deputado federal, que ocupou, representando o estado do Rio de Janeiro, desde 1991.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Assinatura

Jair Bolsonaro e General Mourão assinam os termos de posse.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Empossados

Eunício Oliveira declara Jair Bolsonaro e General Mourão presidente e vice-presidente do Brasil, respectivamente.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Juramento

Bolsonaro faz seu juramento, em que promete o respeito à Constituição e a defesa da independência do Brasil.

Redação
Da redação

Público vibra com Bolsonaro

O público que acompanha a transmissão das imagens sobre a posse do presidente eleito Jair Bolsonaro pelo telão instalado na Praça dos Três Poderes vibrou muito quando apareceu a saída da comitiva presidencial da Granja do Torto em direção à Esplanada dos Ministérios. Milhares de pessoas estão na Esplanada. A estimativa oficial de público só sai no fim da cerimônia de posse de Bolsonaro.

Redação
Da redação

Confusão na Praça dos 3 Poderes

(FOLHAPRESS) - Apesar do forte e inédito esquema de segurança montado para a posse de Jair Bolsonaro, nesta terça-feira (1º) em Brasília, dezenas de pessoas tiveram acesso a uma área reservada em frente ao Palácio do Planalto, o que causou confusão. Havia diversas aberturas entre as grades em frente ao Planalto e o monitoramento das passagens não foi eficaz. Algumas das pessoas retiradas da área reservada ficaram em uma das laterais das grades. Ao resistirem a sair inclusive dali, iniciaram uma confusão que culminou no uso de spray de pimenta por parte de um dos seguranças da Presidência. Segundo um dos apoiadores de Bolsonaro, o produto pegou no rosto de uma criança. Entre gritos, a Polícia Militar foi chamada para acalmar a situação. Um homem desmaiou e o segurança da Presidência foi orientado por colegas a se afastar do local.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Hino

A sessão solene do Congresso se inicia com a execução do Hino Nacional. Bolsonaro canta o hino levando a mão ao coração, como faz também o presidente do Senado, Eunício Oliveira.

Redação
Da redação

Posse no Espírito Santo

(Estadão Conteúdo). Acabou de tomar posse como governador do Espírito Santo o candidato do PSB na disputa de 2018, Renato Casagrande. A cerimônia aconteceu na Assembleia Legislativa do Espírito Santo.Às 16h está prevista uma solenidade de abertura da gestão de Casagrande como governador. O evento acontecerá na sede do governo estadual, o Palácio Anchieta, do qual Paulo Hartung (sem partido) se despede.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Pergunta onde?

Paulo Guedes, ministro da Economia, cometeu uma pequena gafe na chegada à Câmara. Ele estava se dirigindo ao Salão Negro, quando foi alertado pelos jornalistas quanto ao caminho correto. Reagiu às risadas.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Chegada

Acompanhado dos presidentes de Câmara e Senado, Jair Bolsonaro chegou agora ao plenário da Câmara. Passou rapidamente pelo Salão Verde, que frequentou nos tempos de deputado.

Redação
Da redação

3 poderes juntos

Bolsonaro já está dentro do Congresso. Ele está acompanhado dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e do presidente do STF, Dias Toffoli. São os presidentes de todos os poderes juntos.

Redação
Da redação

Bolsonaro chega ao Congresso

O Rolls Royce chegou ao Congresso. Bolsonaro subirá a rampa. Depois, toma posse oficialmente e discursa.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

"Great Day"

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, chegou ao plenário da Câmara. "Great day", disse aos repórteres.

Redação
Da redação

Começa o desfile

Começa o desfile: Bolsonaro está no carro aberto com sua mulher, Michelle Bolsonaro. Eles são escoltados pelos Dragões da Independência (em destaque da foto, de Carl de Souza, da AFP).

Redação
Da redação

Desfile será em carro aberto

Fim do mistério: Bolsonaro vai fazer o desfile em carro aberto – um Rolls Royce da Presidência dado ao Brasil como presente do Reino Unido na década de 1950.

Redação
Da redação

Mulher, filho e vice

Bolsonaro está acompanhado de sua mulher, Michelle, de um de seus filhos, Carlos, e de seu vice, Hamilton Mourão.

Redação
Da redação

Vai começar

A comitiva de Bolsonaro chega à Catedral de Brasília. A solenidade começa oficialmente em instantes.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Sarney

O ex-presidente José Sarney entrou há pouco no plenário da Câmara. Ele não falou aos jornalistas. Ao lado de Fernando Collor, é o único ex-presidente da República a estar na posse de Bolsonaro.

Redação
Da redação

Passeio na Esplanada

A comitiva de Bolsonaro está dando um passeio por toda a Esplanada, passando inclusive ao lado do Congresso e do Planalto, antes de ir à Catedral de Brasília, onde efetivamente começa a solenidade de posse.

Redação
Da redação

Alívio no calor

Bombeiros que estão na Praça dos Três Poderes deram uma mãozinha para o público aguentar o forte calor que faz em Brasília e jogaram água na multidão. A imagem é de Evaristo Sá, da agência AFP.

Redação
Da redação

Bolsonaro sai da Granja do Torto

Bolsonaro saiu da Granja do Torto, Vai começar em alguns minutos a solenidade de posse.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Chile

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, chegou à cerimônia.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Família

O senador eleito Flávio (PSL-RJ) e o deputado federal Eduardo (PSL-SP), filhos de Jair Bolsonaro, chegaram agora à cerimônia, mas não falaram com a imprensa. O deputado eleito Hélio Lopes (PSL-RJ), que usou na urna o nome de "Hélio Bolsonaro" estava com eles - e também não conversou com os jornalistas.

Redação
Da redação

Bolsonaro fala no Twitter

Jair Bolsonaro publicou agora há pouco um vídeo em sua conta no Twitter agradecendo a Deus por estar vivo e ao cidadão brasileiro por ter confiado nele. Disse que pretende mudar o Brasil. Mas afirmou que, para isso, terá de continuar a ter o apoio da população.

Redação
Da redação

Hostilidade contra a imprensa

(FOLHAPRESS) - Os jornalistas são o principal alvo dos apoiadores que aguardam, nesta terça-feira (1º), a posse de Jair Bolsonaro em frente ao Palácio do Planalto. Centenas de pessoas, que se reúnem desde cedo na Praça dos Três Poderes, em Brasília, gritam palavras de ordem contra a imprensa, como "Folha lixo", "Globo lixo". Eles exaltam as redes sociais - houve uma onda de gritos "WhatsApp! WhatsApp!"- e emissoras como SBT, Record e Jovem Pan como meios de acesso à informações de suas preferências. A cada aproximação dos jornalistas à área de contenção onde estão concentrados, gritam palavras de ordem contra a imprensa e xingam repórteres, fotógrafos e cinegrafistas. Abordados individualmente para entrevistas, alguns apoiadores de Bolsonaro pedem desculpa pelo comportamento da maioria.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

"Fim do toma lá dá cá"

O senador eleito Major Olímpio (PSL-SP) disse acreditar que o presidente Bolsonaro terá certa facilidade na relação com o Congresso por conta da renovação proporcionada pelas eleições. "É o fim do toma lá dá cá".

Redação
Da redação

Boca Aberta na posse

Ex-vereador cassado pela Câmara de Londrina, no Paraná, o deputado eleito Boca Aberta compareceu à posse de Bolsonaro vestindo terno e gravata. Mas com uma camiseta do time de futebol do Londrina, da série B do Campeonato Brasileiro.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Liderança do PSL

Atual líder do partido de Bolsonaro na Câmara, Delegado Waldir (PSL-GO) disse que o novo comandante da bancada - a segunda maior da Câmara - só será definido em fevereiro. Perguntado se gostaria de continuar no cargo, Waldir afirmou: "se a bancada entender que sou apto para o cargo, estou à disposição"

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Ministros na área

Ministros do governo Bolsonaro como Santos Cruz, Mandetta e Tereza Cristina chegaram ao Congresso.

Redação
Da redação

Aglomeração na Praça dos 3 Poderes

Apoiadores de Bolsonaro já estão se aglomerando na Praça dos Três Poderes para prestigiar a posse de Bolsonaro. Grande parte deles veste camisetas amarelas e leva consigo a bandeira do Brasil. Um grupo estendeu uma faixa com os dizeres: "PT nunca mais". A foto é de Evaristo Sá, da AFP.

Redação
Da redação

Posse no Distrito Federal

(Estadão Conteúdo). O advogado Ibaneis Rocha (MDB) tomou posse na manhã desta terça-feira como governador do Distrito Federal (DF). Ele e seu vice, Paco Britto (Avante), foram empossados em cerimônia realizada na Câmara Legislativa do Distrito Federal, em Brasília. Em um discurso improvisado de pouco mais de 15 minutos, o governador disse que sua gestão trabalhará independente de bandeiras partidárias e ideologias. Ele também criticou a rejeição da população a políticos. "Só através da política é que se realizam as mudanças sociais", disse. "Quero respeito à população em primeiro lugar e eu vou cobrar. A saúde está em frangalhos. A segurança no DF [Distrito Federal] infelizmente não existe. Temos problemas sérios de infraestrutura. Vamos ter que trabalhar com inteligência, porque não existem recursos", afirmou. Novato na política, Ibaneis virou uma das maiores surpresas na disputa eleitoral deste ano. O advogado de 47 anos e ex-presidente regional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) saltou de 2% das intenções de votos, no início da campanha em agosto, para liderar a preferência do eleitorado com folga no segundo turno.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Capitão

Capitão Augusto (PR-SP) também reitera candidatura ao comando da Câmara. Ele diz considerar Rodrigo Maia (DEM-RJ) já no segundo turno, mas aponta que qualquer adversário seria favorito contra o atual presidente. Ele afirmou defender que Bolsonaro não interfira nas eleições. Em outro assunto, ele elogiou a ideia de Bolsonaro de regulamentar o posse de armas.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Previdência

Fábio Ramalho destacou também que considera a reforma da previdência a mais importante do novo governo.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Fábio Ramalho (MDB-MG) fala agora aos jornalistas. Ele também é candidato a presidente da Câmara, e diz ser um candidato independente. Ele defendeu que o governo Bolsonaro faça reformas. Ramalho também disse que Bolsonaro saberá dialogar com o parlamento: "ele é da casa, é do ramo".

Redação
Da redação

Enquanto isso em Curitiba...

Militantes do PT e simpatizantes que estão em Curitiba promoveram uma manifestação em favor de Lula nas imediações da sede da Superintendência da Polícia Federal do Paraná, onde o ex-presidente está preso. Eles estenderam uma enorme faixa na qual estava escrito: "Lula livre". A foto é de Ricardo Stuckert, fotógrafo de Lula.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Em campanha

O deputado JHC (PSB-AL) também já chegou ao Plenário. Aos jornalistas, reiterou a candidatura à presidência da Câmara.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Presenças

Autoridades começam a chegar ao plenário da Câmara. O senador e ex-presidente da República Fernando Collor (PTC-AL) e o deputado federal Alfredo Kaeffer (PP-PR) estão entre os que já chegaram.

Redação
Da redação

Sem reservas

(Estadão Conteúdo) No Salão Nobre do Palácio do Planalto, onde o novo presidente, Jair Bolsonaro, dará posse aos 22 ministros e receberá convidados, há assentos reservados na primeira fileira para dois ex-presidentes - José Sarney (1985 a 1990) e Fernando Collor de Mello, que sofreu impeachment em 1992 e hoje é senador pelo PTC. Não constam ali, porém, lugares destinados a Dilma Rousseff (PT), cassada após processo de impeachment, em 2016, nem a Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que governou o País de 1995 a 2002. A assessoria de imprensa do Itamaraty informou que todos os ex-presidentes foram convidados para a posse de Bolsonaro, com exceção de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), condenado da Lava Jato que está preso desde abril do ano passado.

Redação
Da redação

Posse de Bolsonaro

Recepção da Marinha

Oficiais da Marinha começam a se posicionar no Salão Verde da Câmara. Eles formam um corredor ao lado do tapete vermelho por onde o presidente Jair Bolsonaro passará na hora da posse.

Redação
Da redação

Posse no Tocantins

(Estadão Conteúdo) O governador do Tocantins, Mauro Carlesse (PHS), reeleito ao cargo no primeiro turno do pleito de 2018, tomou posse de seu segundo mandato na manhã desta terça-feira, 1º, na Assembleia Legislativa do Tocantins. Carlesse esteve acompanhado de seu vice-governador, Wanderlei Barbosa (PHS). A expectativa é de que Carlesse se dirija ainda nesta manhã ao Palácio Araguaia, sede do governo estadual, onde proferirá um discurso. Depois, o governador deve embarcar rumo a Brasília, onde acompanhará a cerimônia de posse do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Redação
Da redação

Posse no Rio de Janeiro

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, se reúne nesta quarta-feira, 2, com seu secretariado para discutir as primeiras ações à frente do Estado. Segundo Witzel, no dia 12, sábado, haverá novo encontro "mais aprofundado", que resultará na divulgação do plano de governo. Wilson Witzel tomou posse em cerimônia no Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), na manhã desta terça-feira. Em seu discurso, Witzel invocou a bênção de Deus e relembrou algumas promessas de campanha, como o combate à violência urbana e à corrupção.

Redação
Da redação

Posse em São Paulo

(Folhapress) O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que tomou posse nesta terça-feira (1º), decidiu abrir mão de morar no Palácio dos Bandeirantes, residência oficial do governo do estado, localizada no Morumbi, na zona oeste da capital paulista. O tucano seguirá residindo em sua casa no Jardim Europa, também na zona oeste de São Paulo.

Redação
Da redação

Posse no Rio de Janeiro

(Folhapress) O ex-juiz federal Wilson José Witzel (PSC), 50, tomou posse como governador do Rio de Janeiro prometendo apoio à gestão Jair Bolsonaro nas reformas tributárias e previdenciária e combate duro às organizações criminosas que atuam no estado. Witzel também mencionou os casos de corrupção que marcaram os últimos governos fluminenses. O estado tem um governador afastado, Luiz Fernando Pezão (MDB), e o ex-governador Sérgio Cabral (MDB) presos. "É chegada a hora de libertar o estado da irresponsabilidade da corrupção que marcaram as duas últimas décadas da política estadual", afirmou ele em discurso na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, que teve dez deputados presos há dois meses. Eleito com 59,87% dos votos válidos e alinhado ao discurso de Bolsonaro, Witzel prometeu tratar membros de facções criminosas como terroristas. "Criminosos assumiram pelo poder das armas o domínio de porções do nosso território, trazendo a desgraça e a desordem. Vamos reorganizar as estruturas policiais para serem capazes de investigar e prender aqueles que comandam o crime organizado e fazem da lavagem de dinheiro a fonte que abastece o comércio de drogas, armas e a desgraça e o câncer da corrupção", afirmou ele em discurso.

Redação
Da redação

Posse em Minas Gerais

(Folhapress) Após tomar posse como governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) disse, em entrevista à imprensa, que vai gerir um estado com dificuldades financeiras. "O estado está literalmente falido. Temos que abrir a caixa-preta das finanças", afirmou. Para o novo governador será preciso união de todas as classes, poderes e cidadãos, sem distinção para enfrentar os desafios que virão pela frente. "A falta de austeridade nos últimos anos fez com que tenhamos uma previsão de déficit de R$ 30 bilhões em 2019." O governador desistiu de participar da posse de Jair Bolsonaro. O motivo alegado pela assessoria de Zema foi a falta de um voo de carreira que faça a tempo o percurso entre Belo Horizonte, onde tomou posse, e Brasília. Zema poderia usar uma aeronave do estado, mas quer evitar gastos extras. Minas enfrenta uma das maiores crises fiscais de sua história. O governador mineiro foi eleito com o discurso de austeridade nas contas públicas.

Redação
Da redação

Diplomacia

A ascensão de Jair Bolsonaro ao Palácio do Planalto e de Ernesto Araújo ao Itamaraty promete mudanças nas diretrizes da política externa brasileira, em uma ruptura não apenas com os anos Lula (2003-10), mas também com alguns dogmas como a premissa da imparcialidade no Oriente Médio. O comércio deve ser o norte, e aliados à direita, os mais cortejados. A Europa e a Ásia passam para segundo plano, e EUA e Israel a amigos mais próximos. Entenda as principais mudanças na política externa

Redação
Da redação

Para entender o governo Bolsonaro

O jornalista Fernando Martins elencou cinco compromissos de campanha do presidente eleito que, muito além de simples bordões, ajudam a entender como será sua gestão: um governo com muitas guinadas. Leia mais

Redação
Da redação

Posse em São Paulo

(Folhapress) João Doria fez série de críticas aos 23 anos de PSDB no comando de SP durante a posse desta terça-feira. Doria disse que o estado precisa deixar de "pensar pequeno" e que a partir de agora "São Paulo vai mudar, agora tem comando". O novo governador ainda pediu a reestruturação do partido, hoje sob o comando de Geraldo Alckmin, ex-governador do estado e ausente na cerimônia. "Vamos ajudar o PSDB a estar sintonizado com o novo Brasil", disse.Em relação a Alckmin, Doria fez apenas uma menção breve a ele durante todo seu discurso de cerca de 30 minutos, ao dizer que, ao promover mudanças no PSDB, não desrespeitaria a história construída pelo ex-governador e outros tucanos históricos, como os também ex-governadores José Serra e Mário Covas e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Redação
Da redação

Desafios de Bolsonaro

O governo de Jair Bolsonaro (PSL) vai começar o mandato com 395 projetos e ações em tramitação no Congresso, na Justiça ou no Tribunal de Contas da União (TCU) que podem aumentar as despesas ou diminuir a arrecadação. São casos que já se arrastam há tempos e que podem ter um desfecho desfavorável à União, onerando ainda mais as contas públicas federais, que já estão no vermelho desde 2014. A maioria trata-se de dar ou aumentar renúncias fiscais a determinados setores empresariais e de reduzir tributos federais. Leia mais

Redação
Da redação

Veteranos do Haiti no Planalto

(Estadão Conteúdo) Os veteranos da Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (Minustah) chegam ao poder com Jair Bolsonaro. Entre os sete generais do Exército escolhidos para cargos que vão da secretaria de Esportes ao Gabinete de Segurança Institucional (GSI) estão seis ex-participantes das forças da ONU que atuaram no país caribenho de 2004 a 2017. "Essa experiência foi fundamental para a atual geração de oficiais do Exército brasileiro", disse o general Augusto Heleno Ribeiro Pereira, primeiro comandante das tropas no Haiti e ministro-chefe do GSI. Heleno teve na Minustah como seus subordinados do Estado-Maior os então coronéis Floriano Peixoto Vieira Neto, Fernando Azevedo e Silva e Marco Aurélio da Costa Vieira.

Redação
Da redação

Regras rígidas

(Estadão Conteúdo) A organização da posse do futuro presidente do País, Jair Bolsonaro, montou o esquema mais restritivo à imprensa desde a redemocratização. Os jornalistas ficarão confinados em setores definidos pelo cerimonial sem poder circular durante os vários momentos e espaços do evento. Os profissionais de imprensa estão levando alimentos em sacos transparentes para as refeições e lanches ao longo de todo o dia, já que não haverá lugar que sirva comida durante o evento.
A cerimônia da posse começa às 14h45 com o cortejo presidencial saindo da Catedral Metropolitana de Brasília até o Congresso Nacional, onde, às 15h, Bolsonaro toma posse em sessão solene. Empossado, o presidente discursará e depois seguirá para o Palácio do Planalto, onde Michel Temer passará a ele a faixa presidencial. Em seguida, haverá um outro discurso de Bolsonaro, desta vez no Parlatório do Planalto, e no início da noite, o novo presidente e a primeira-dama promovem uma recepção com coquetel no Itamaraty a convidados, incluindo chefes de Estado.

Redação
Da redação

Posse de Bolsonaro

Salão Verde da Câmara dos Deputados começa a receber os jornalistas que farão a posse de Jair Bolsonaro. Um tapete vermelho decora o local

Redação
Da redação

Posse no Paraná

Apresentador Ratinho
Apresentador Ratinho
Apresentador Ratinho

O apresentador Ratinho disse que seu papel será o de pai e que não nomeou ninguém para o governo do filho, Ratinho Jr, que tomou posse com governador do Paraná. Leia mais

Redação
Da redação

Posse no Distrito Federal

(Estadão Conteúdo) O governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), disse na manhã desta terça-feira, 1º, que uma das primeiras medidas de sua gestão será cuidar "de forma imediata" da saúde pública. O emedebista falou com jornalistas antes de participar de missa de ação de graças no Santuário Dom Bosco, no centro de Brasília. Às 10h30, Ibaneis tomará posse na Câmara Legislativa do DF. "Vamos cuidar da saúde de forma imediata. É uma determinação para o secretário de Saúde e toda a sua equipe tentar melhorar a saúde da população do Distrito Federal", disse. O governador eleito também afirmou que, neste primeiro momento, haverá foco em medidas voltadas à segurança pública. "(Vamos) tentar trazer mais policiais, principalmente aqueles já que estão na reserva e aposentados para que a gente possa reabrir as delegacias do Distrito Federal."

Editorial da Gazeta do Povo

Desejar que Bolsonaro faça um bom governo não é tanto uma questão de preferência partidária, mas de constatar que o brasileiro não aguenta mais crise, desemprego e corrupção
Leia mais

Posse em São Paulo

(Folhapress) João Doria (PSDB), 61, tomou posse como governador do estado de São Paulo na manhã desta terça-feria (1º), em cerimônia na Assembleia Legislativa, na região do Ibirapuera (zona sul de SP). Ele e o vice-governador Rodrigo Garcia foram recebidos pelo presidente da Casa, o deputado tucano Cauê Macris, para a curta cerimônia de posse. Mais tarde, Doria viajará para Brasília, onde participará da cerimônia de posse de Jair Bolsonaro (PSL). Durante a campanha eleitoral, o tucano colou sua imagem à de Bolsonaro, pregando o chamado Bolsodoria. Doria deixou a prefeitura em abril, faltando 1.000 dias para o fim de seu mandato, para disputar as eleições. Venceu a eleição e se cacifou para liderar o PSDB, já de olho na eleição presidencial de 2022. Antes disso, enfrentará uma série de obstáculos, como uma bancada menor de seu partido na Assembleia. Além da política, ele terá desafios nas privatizações, segurança, mobilidade e educação.

Posse no Rio de Janeiro

(Folhapress): O ex-juiz federal Wilson José Witzel (PSC), 50, foi empossado às 9h17 desta terça-feira (1º) no cargo de governador do Rio de Janeiro. A cerimônia foi realizada na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, sob a presidência do deputado André Ceciliano (PT). Também foi empossado o vice-governador Cláudio Castro (PSC).Witzel foi eleito em outubro com 59,87% dos votos válidos, superando o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM). Coadjuvante no primeiro turno, o governador decolou nas pesquisas de intenção de votos na última semana do primeiro turno, confirmando a vitória no segundo. O novo governador fez uma campanha tendo como principal bandeira o endurecimento ao combate às facções criminosas do estado. Defendeu abertamente que policiais tenham autorização para matar qualquer pessoa que portasse um fuzil, ainda que não posicionado para atirar –prática que chamou de "abate".

Posse no Paraná

Ratinho Junior fez sua primeira fala como governador do Paraná. Na tribuna da Assembleia, ele lembra do período como deputado e de seu projeto de comandar o estado. Repetiu, além disso, o que vinha dizendo ao longo da campanha: que não faz parte de nenhuma oligarquia paranaense e que trabalhará com inovação e tecnologia no comando do estado."
Leia mais

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Mais controle

Na chegada ao Congresso, mais restrições: os jornalistas precisam passar por outro controle de pertences, incluindo nova passagem por máquina de raio-X. Situação cria longa fila.

Ano novo em clima familiar

(Estadão Conteúdo)
Local que chegou a reunir cerca de 60 apoiadores do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) durante o dia, o entorno da Granja do Torto ficou vazio na virada de ano, diante da chuva que caiu à noite na capital federal e de nenhuma expectativa de aparição de Bolsonaro nas grades que cercam a residência oficial. Na Granja, o futuro mandatário, familiares e amigos comemoraram em clima pessoal a passagem de 2018 para 2019. Segundo relatou o deputado estadual eleito em São Paulo, Giz Diniz (PSL), Bolsonaro foi descansar antes da 1h da manhã. Diniz, conhecido como 'carteiro reaça', trabalhou como assessor de Eduardo Bolsonaro, deputado federal e um dos filhos do presidente eleito. Ele participou do réveillon da família Bolsonaro. Na casa onde passaram a virada do ano, o clima era de simplicidade, contou o deputado eleito. "Arroz, farofa, carne, uma mistura. Sabe casa de tio, avó?", brincou sobre o cardápio e a programação na televisão, que, segundo ele, transmitia as festas de Réveillon nas cidades pelo Brasil. "Era família mesmo." O político estimou que estavam na festa cerca de 30 pessoas, e não citou a presença dos futuros ministros do governo Bolsonaro.

Redação
Da redação

Posse no Paraná

Posse de Ratinho Jr
Posse de Ratinho Jr
Posse de Ratinho Jr

Cinco minutos depois do horário marcado, o mestre de cerimônias dá início ao evento na Assembleia do Paraná, que dará posse a Ratinho Jr.
Leia mais

Redação
Da redação

Quem vai à posse de Bolsonaro

Com um inédito sistema de segurança na Esplanada dos Ministérios, Jair Bolsonaro (PSL) assumirá a Presidência da República em 1º de janeiro. Pelo menos 12 chefes de estado devem comparecer ao evento, além de representantes de outros 11 países. O último chefe de estado a confirmar presença foi o primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu. A presença dele foi confirmada na última quinta-feira (27) pela embaixada. Netanyahu se reuniu com Bolsonaro no Brasil na sexta-feira (28). Inicialmente, o ele não iria ficar para a posse, mas mudou de ideia dois dias antes da reunião e confirmou sua presença no evento."
Leia mais

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Controle

Há um grande esquema de segurança no acesso dos jornalistas ao ônibus que levam aos locais de trabalho. Todos têm suas bagagens vistoriadas com máquinas de raios-X, como as de aeroportos.

Redação
Da redação

Discurso de Bolsonaro será "papo reto"

(Folhapress)
Futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta segunda-feira (31) que o discurso de posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), vai ser "curto, papo reto, direto".
Ao sair da Granja do Torto, Lorenzoni disse que tinham acabado de revisar o discurso que o presidente eleito fará nesta terça.
"Vai ser discurso de muita fé, de um Brasil que vai mudar, com muita humildade", afirmou. "É aquela coisa, do jeito dele: curto, papo reto, direto."
Segundo ele, Bolsonaro "está bem, animado, com a família, se preparando e vai estar muito bem amanhã".
O presidente eleito passou o dia na residência oficial da Granja do Torto, em Brasília.
Recebeu as visitas do irmão, Renato, de um amigo que se apresentou como Jacaré, e do deputado federal eleito Helio Lopes, que adotou o nome de Helio Bolsonaro (PSL).
De acordo com o irmão, os Bolsonaro estão reunidos no Torto, onde devem ficar para a virada do ano, ao lado da mãe do eleito, Olinda. Dos filhos, disse que apenas Flávio já estava no Torto. Carlos foi a um shopping em Brasília no início da tarde, onde causou alvoroço.
Cerca de 30 apoiadores de diferentes lugares do país, se concentram na porta da Granja do Torto à espera do político. Eles pedem aos visitantes para levar Bolsonaro para cumprimentá-los.
O evento da posse de Bolsonaro está marcado para começar por volta de 14h45 na Catedral de Brasília. De lá, ele deve desfilar ao lado da futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, em um veículo que vai levá-lo até o Congresso Nacional para tomar posse como presidente.
Na sequência, seguirá para o Planalto e, à noite, participará um coquetel no Palácio do Itamaraty.
A FAB (Força Aérea Brasileira) preparou um esquema de três níveis de controle de tráfego aéreo em um raio de 70 milhas náuticas (129,6 km) a partir da praça dos Três Poderes. Segundo a FAB, não haverá impacto para a aviação comercial.
O GSI (Gabinete de Segurança institucional) realizou dois ensaios da posse.

Olavo Soares
Repórter em Brasília

Imprensa a postos

A imprensa está reunida no Centro Cultural Banco do Brasil, o "QG" da transição em Brasília, e começa a sair para os diferentes pontos de cobertura: Congresso, Palácio do Planalto, Itamaraty, Praça dos Três Poderes e outros locais da Esplanada. Cai uma chuva fina em Brasília.

Redação
Da redação

Qual a mensagem de Bolsonaro?

O jornalista Guido Orguis questiona: O presidente eleito Jair Bolsonaro vai escrever sua carta para os historiadores neste dia primeiro de janeiro e ela precisa responder a uma pergunta: seu governo será populista de direita ou liberal-democrata? Não espero uma resposta clara. Ela estará nas entrelinhas do discurso e, com sorte, poderemos entender seu significado dentro de quatro anos. Leia mais

Bolsonaro diz que vai combater ‘lixo marxista

Um dia antes da cerimônia da posse, em Brasília, o presidente eleito Jair Bolsonaro voltou às redes sociais para ligar as baixas posições que o Brasil ocupa nos rankings mundiais de educação ao “lixo marxista” adotado nas instituições de ensino do País. Bolsonaro disse ainda que seu governo pretende “evoluir” e formar “cidadãos e não mais militantes políticos”.
Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/politica/republica/para-melhorar-educacao-bolsonaro-diz-que-vai-combater-lixo-marxista-10gghb19bha1126lutmnt3lna/

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

1 Comentário em "Bolsonaro toma posse nesta terça-feira! Acompanhe em tempo real!"


MAIOR DO ESTADO
MAIOR DO ESTADO
21 dias 5 horas atrás

ALERTA DE ENCHENTES!!!

Lágrimas de petistas ja sobem os níveis dos rios

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas