O esfaqueador do candidato Jair Bolsonaro (PSL) pode pegar até 20 anos de prisão. Adelio Bispo foi indiciado pela Polícia Federal com base no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional – a Lei 7.170/83 (Governo João Figueiredo, último general do regime militar) define os crimes contra a segurança nacional, a ordem política e social. Se processado e condenado, Bispo pode pegar até 20 anos de reclusão.

A Justiça Federal de Juiz de Fora-MG decidiu manter a prisão de Bispo, e determinou a transferência dele para um presídio federal. Caberá ao Ministério da Justiça decidir para qual instituição do País o acusado será removido. A previsão é de que a transferência ocorra no máximo até este sábado (8).

A manutenção da prisão aconteceu após audiência de custódia realizada na tarde desta sexta-feira na sede da Justiça Federal da cidade mineira.

O artigo 20 é expresso ao definir pena de reclusão de três a 10 anos para quem ‘praticar atentado pessoal por inconformismo político’. “Se do fato resulta lesão corporal grave, a pena aumenta-se até o dobro; se resulta morte, aumenta-se até o triplo”, diz o texto.

+ Quem é Adelio Bispo, o homem que esfaqueou Bolsonaro?

Bispo esfaqueou Bolsonaro na tarde desta quinta-feira (6), no centro de Juiz de Fora (MG). O candidato participava de um ato de sua campanha. O agressor foi preso e autuado em flagrante. A investigação indica que ele teria agido sozinho, apesar de um possível cúmplice ter sido preso e interrogado pela Polícia Federal de Minas Gerais. Na delegacia de Juiz de Fora, Bispo disse que “quem mandou [esfaquear Bolsonaro] foi o Deus aqui em cima”.

O ministro Raul Jungmann, da Segurança Pública, avalia que o ataque pode ter sido ‘ato isolado’. Ele informou que outros dois suspeitos ainda estão sob investigação.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Após transferência, Bolsonaro está consciente e em boas condições