Foto: Anderson Tozato
posse020105.jpg

Beto Richa, empossado ontem
à tarde na Câmara Municipal.

Os trinta e oito vereadores de Curitiba tomaram posse ontem em solenidade no plenário do Palácio Rio Branco. Hoje se reúnem novamente para eleger a nova mesa executiva, cujo mandato será de dois anos. O vereador João Claudio Derosso (PSDB) segue para um quinto mandato como vereador e, muito provavelmente, o quarto na presidência da Casa, após um acordo com o grupo do vereador mais votado em 2004, Ney Leprevost (PP). Foram vários dias de negociação e, às vésperas da eleição, Leprevost aceitou uma composição e desistiu da candidatura à presidência.

Apesar da retirada estratégica de Leprevost, Derosso não será candidato único. Até ontem à tarde, o vereador Jorge Bernardi (PDT) mantinha sua chapa, apoiado por outros cinco vereadores: os três eleitos pelo PT e dois peemedebistas. O outro pedetista, Tito Zeglin, que apoiava Leprevost, ainda não havia decidido se apóia o colega de bancada ou se transfere seu voto para Derosso.

Leprevost, por sua vez, irá compor a chapa de Derosso. O cargo ainda não foi divulgado. Além de Leprevost, também entra na chapa do tucano o vereador Stephanes Junior (PMDB). Até ontem havia uma tentativa de atrair para a chapa a vereadora Roseli Isidoro, cogitada para assumir a 4.ª secretaria, mas a bancada petista resistia ao acordo e mantinha o apoio a Bernardi.

A renúncia de Leprevost foi precedida de um pacto de não- reeleição por parte de Derosso. O fim da reeleição será formalizado na reforma do Regimento Interno que a Câmara votará ainda no primeiro semestre deste ano. Com isto, Leprevost já estará com o caminho traçado para concorrer à presidência em 2007.

Forças

A eleição da mesa indispôs os aliados do prefeito Beto Richa (PSDB), mas não abalou sua base de sustentação. O futuro líder do governo, Mário Celso Cunha (PSB), tem uma previsão otimista: dos 38 vereadores, pelo menos 30 estarão votando com o novo prefeito. Até o PPS, que integra a chamada bancada independente, entra na conta de Mário Celso não como apoio, mas como bancada próxima e que o prefeito terá a seu lado em momentos decisivos.

Do outro lado, na oposição, ficarão os três vereadores do PT, um do PCdoB e parte da bancada do PMDB. A situação é bem mais confortável para o novo prefeito. No final do mandato, Taniguchi tinha contra si um grupo de pelo menos nove vereadores de oposição.

O diferencial desta nova legislatura é a bancada feminina. Sempre reduzida na Câmara Municipal de Curitiba, desta vez, as mulheres ocupam cinco cadeiras. Duas do PT – Josete Dubiaski e Roseli Isidoro – uma do PSB – Lourdes de Santa Quitéria – uma do PSDB – Nely Almeida – e Julieta Reis (PFL).

Empossados

São os seguintes os vereadores empossados ontem: Aladim Luciano (PV), Aldemir Manfron (PP), Angelo Batista (PP), André Passos (PT), Beto Moraes (PL), Celso Torquato (PMDB), Custódio da Silva (PTB), Dona Lourdes de Santa Quitéria (PSB), Fábio Camargo (PFL), Geraldo Bobato (PFL), Gilso de Freitas (PL), Jair Cézar (PTB), Jairo Marcelino (PDT), João Cláudio Derosso (PSDB), José Roberto Sandoval (PTB), Jorge Bernardi (PDT), Julieta Reis (PFL), Luiz Felipe Braga Côrtes (PMDB), Luizão Stellfeld (PCdoB), Manassés Oliveira (PSB), Mário Celso Cunha (PSB), Nely Almeida (PSDB), Ney Leprevost (PP), Paulo Frote (PSDB), Paulo Salamuni (PMDB), Professora Josete (PT), Reinhold Stephanes Júnior (PMDB), Roberto Hinça (PFL), Roseli Isidoro (PT), Sabino Picolo (PFL), Serginho do Posto (PPS), Sérgio Ribeiro (PPS), Tico Kuzma (PPS), Tito Zeglin (PDT), Valdenir Dias (PTB) e Zé Maria (PPS). Luís Ernesto (PSDB) e Jônatas Pirkiel (PL) assumiram nas vagas de Rui Hara (PSDB) e Pastor Valdemir Soares (PL), que participarão do primeiro escalão da administração de Beto Richa.

Três eventos no mesmo dia

Ontem a Câmara Municipal realizou duas sessões solenes: a primeira para dar posse aos 38 vereadores eleitos no dia 3 de outubro do ano passado, e a segunda, sob o comando do vereador mais votado, Ney Leprevost (PP), para oficializar o novo prefeito, Beto Richa (PSDB), e seu vice, Luciano Ducci (PSB). Em nome dos vereadores falou Paulo Salamuni, que homenageou as famílias Richa e Fruet e o discurso da serenidade. Após a a cerimônia no Palácio Rio Branco, o ritual se transferiu para o Palácio 29 de Março, sede da Prefeitura Municipal, onde um aparato especial foi montado no estacionamento para receber os milhares de convidados de Richa para a transmissão.

Lá ele recebeu o cargo de Taniguchi e empossou os novos secretários. As solenidades de posse aconteceram em todos os municípios paranaenses, em horários diversos. Alguns optaram pela manhã, outros preferiram a tarde e alguns marcaram a posse para a noite.

Antes da eleição, a posse

Com toques bem originais, a posse de José Ritti Filho, que assume pela segunda vez a Prefeitura de Santo Antônio da Platina, transformou-se numa grande festa para comemorar três eventos. Além de assumir o comando do município, ele se casou com a advogada Paula Cardoso, filha de uma tradicional família da cidade, e ainda comemorou o aniversário

As festividades tiveram início à 0h do sábado, com apresentação da Banda de Limeira, na praça em frente à igreja matriz Às 6h a mesma banda se incumbiu de uma alvorada pelas ruas da cidade. O casamento aconteceu às 9h, seguindo-se a posse e transmissão de cargo. A festa de aniversário, que durou o dia todo, foi marcada com a distribuição de 11 mil brinquedos para as crianças. Entusiasmado, Ritti comemorou afirmando que "a partir deste dia, Santo Antônio da Platina terá um novo namorado, que vai tratá-la como uma rainha."