O Palácio do Planalto fez na tarde desta quarta-feira, 17, mais um gesto para tentar assegurar a permanência de Graça Foster na presidência da Petrobras, além de sua diretoria. Convocou o ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, para declarar à imprensa, em nome do governo, a “total confiança” em Graça Foster e na sua diretoria. Mesmo sob fogo cruzado, com seguidas denúncias publicadas na imprensa, Berzoini afirmou que, em todo o processo, Graça Foster está tendo “um comportamento extremamente profissional”.

Depois de o vice-presidente da República, Michel Temer, e do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, terem saído em defesa de Graça ontem, hoje foi a vez de Berzoini. “Quero manifestar, em nome do governo, a total confiança na gestão da presidente Graça Foster e da sua diretoria”, disse o ministro, que deu a entrevista também para “esclarecer” a posição do relator da CPI Mista da Petrobras, o deputado petista Marco Maia, que defendeu, em sua fala, na Câmara, a exoneração dela e da diretoria da empresa, além de referendar os prejuízos causados pela compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

Para Berzoini, a declaração de Marco Maia foi “política”. “Em relação à declaração do relator da CPI, ele fez uma análise política e não deu um juízo em relação ao seu relatório, que podem, evidentemente gerar apreciações equivocadas”, afirmou o ministro. Ele reiterou ainda que a “apreciação” do governo e de todos que conhecem “o desempenho” de Graça Foster é por ressaltar a sua competência e o seu “compromisso com a Petrobras”.

Questionado se tantas defesas de Graça, diuturnamente, pelo primeiro escalão do governo, não mostrava que, ao contrário, ela está fraca e sua situação é insustentável, o ministro Berzoini respondeu: “ao contrário. É para deixar claro a posição nossa em relação ao comportamento extremamente profissional que a Graça Foster vem mantendo à frente da empresa. Ou seja, quando há qualquer tipo de manifestação em relação a isso, o governo sente a necessidade de deixar clara sua posição para evitar especulações em relação à maior empresa brasileira e que tem uma importância estratégica fundamental para o futuro do País”.

Berzoini fez questão de elogiar, mais uma vez, a conduta de Graça à frente da empresa: “Quero dizer que nós entendemos que o enfrentamento dos assuntos da Petrobras estão sendo conduzidos com zelo, com firmeza e com determinação pela presidenta (Graça) e pela diretoria e que este é o caminho para enfrentar as dificuldades e enfrentar a necessidade de encontrar um caminho correto para a Petrobras ter total eficiência, para manter a confiança do povo brasileiro e principalmente para que possamos ter nessa empresa, que é patrimônio do povo brasileiro, uma gestão correta, eficiente, que tenha transparência em relação aos seus negócios”.

Sobre a fala de Graça, hoje cedo, de que esperava definição do governo sobre as empresas envolvidas nas denúncias de pagamento de propinas para o fechamento de contratos junto à Petrobras, se tornarem ou não inidôneas, Berzoini afirmou que este tema “não compete” à sua área. “Não tenho qualquer informação nova sobre isso”, encerrou.