Agência Câmara
André Vargas: “Se houver entendimento, estou disponível para fazer esse trabalho”.

 

Os deputados federais do Paraná se reúnem na próxima terça-feira (15) para discutir a escolha do próximo coordenador da bancada. Um grupo defende a indicação do deputado federal André Vargas (PT) para a função. Mas outros dois nomes já se apresentaram para a coordenação: Dilceu Sperafico (PP) e Fernando Giacobbo (PR).

O escolhido irá substituir o deputado federal Alex Canziani (PTB), que está há dois anos na posição. Vargas disse que não pretende disputar a indicação. “Se houver entendimento, estou disponível para fazer esse trabalho. Mas não acho que deva haver disputa. Eu fui procurado por alguns deputados que gostariam que eu assumisse a tarefa de articular a bancada”, afirmou Vargas.

Ex-coordenador da bancada, uma gestão antes de Canziani, o deputado Sperafico (PP) afirmou que também está sendo estimulado a retornar à posição, cuja principal função é articular a liberação e o pagamento de emendas parlamentares para o estado no orçamento do governo federal.

Sperafico disse que é injusta a crítica corrente de que a bancada do Paraná não sabe atuar coletivamente para aumentar a fatia do estado no orçamento da União. “A verdade é que a bancada atua em conjunto, mas não adianta nada se não houver articulação com o governo do Estado. E isso não aconteceu antes. Agora, isso está mudando”, afirmou.

O novo governador, Beto Richa (PDB), tem mais disposição  que  o anterior para conversar com os deputados, disse Sperafico. “Essa é uma parte importante do trabalho. O governador já esteve conosco conversando e isso ajuda a obter resultados. Essa articulação entre a bancada e o governo é fundamental”, afirmou.

Os cortes no orçamento deste ano, determinados pela presidente Dilma Rousseff (PT) vão dar trabalho dobrado para o próximo coordenador de bancada. De acordo com a ONG Contas Abertas, a União vetou R$ 57 milhões dos R$ 765 milhões de emendas individuais e  coletivas da bancada prevendo recursos para o estado no orçamento deste ano. “O coordenador vai ter muito trabalho para tentar recuperar esses recursos”, disse Sperafico, informando que o acordo entre os deputados é que a cada ano seja trocado o coordenador da bancada.