A polêmica CPI dos bingos, que o 1.º secretário da Assembléia Legislativa, deputado Nereu Moura (PMDB) pretende propor na casa, deve ser discutida hoje durante a reunião da bancada marcada para o final da manhã. segundo o líder peemedebista, deputado Antônio Anibelli, não há por enquanto uma posição oficial do grupo a respeito do assunto: “Nereu Moura ainda não formalizou seu requerimento. Mas em se tratando de uma proposta de um companheiro, é natural que a bancada apóie”, prevê.

Anibelli, como Nereu, não teme que a investigação de bingos e videoloterias no Estado possa respingar no PMDB. O PFL, através de seu líder, Plauto Miró, reagiu à proposta de Nereu apresentando requerimento semelhante para investigar eventuais doações feitas por empresários do setor à campanha política de 2002. O mote do pefelista é uma fita de vídeo onde o secretário-chefe da Casa Civil, Caíto Quintana, e o presidente da Cohapar, Luiz Cláudio Romanelli, ambos do PMDB, aparecem numa reunião com funcionários de bingos de capital.

“Qual é o problema” indaga Anibelli. “Pedir votos, todos pedimos, aos mais diversos segmentos da sociedade. Se os funcionários de bingos que ficaram desempregados quiseram vir a esta casa para expor seu problema, serão bem-recebidos. Nosso partido não tem nada a temer e pode conduzir, com tranquilidade, uma investigação sobre o jogo no Estado”, assegura.

Enquanto os pedidos do PMDB e do PFL estão na fase de angariar assinaturas de apoio, as outras duas CPIs com assinaturas suficientes para garantir sua instalação, já têm até presidente escolhido: o pefelista Élio Rusch deverá comandar a CPI da Terra e o peemedebista Mário Sérgio Bradock a das Universidades, inicialmente proposta para investigar irregularidades na Universidade Estadual de Ponta Grossa. Depois, por iniciativa do líder do PFL, Plauto Miró, outras universidades estaduais foram incluídas. A ampliação desta última CPI também deverá ser motivo de análise hoje, na reunião da bancada do PMDB.

Empenho

Miró Guimarães voltou a defender ontem a sua proposta de criação de uma CPI dos bingos na Assembléia. Ele vem tentando obter apoio para a criação da comissão desde agosto do ano passado, quando surgiram denúncias de que a campanha eleitoral do PMDB teria recebido doações de bingueiros. O deputado propõe também que a CPI investigue e apure a atividade empresarial que explora os bingos no Estado.

No plenário da casa, Plauto apresentou uma pesquisa do jornal Folha de S. Paulo mostrando que 81% dos entrevistados são favoráveis a criação de uma CPI para investigar as irregularidades do ex-assessor especial da Casa Civil, Waldomiro Diniz.