O governador Roberto Requião (PMDB) presta depoimento na próxima segunda-feira, dia 26, na ação movida contra ele pela ex-secretária de Comunicação do governo Lerner, Cila Schulmann. Como se trata de uma audiência de instrução e julgamento, o juiz poderá anunciar a sentença. A origem da ação foi a denúncia feita pelo governador, quando assumiu o cargo em 2003, sobre o desvio de R$ 10 milhões que teriam sido pagos irregularmente pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER) a uma empreiteira para a campanha eleitoral do prefeito Beto Richa (PSDB) ao governo do Estado. O governador declarou ter sido informado pelo empresário Darci Fantin, dono da empreiteira, que os recursos foram repassados à Cila, coordenadora de comunicação da campanha do prefeito na eleição de 2002.

A pedido do governador, a audiência foi transferida do prédio da 12.ª Vara Cível, em Curitiba, para o 11.º andar do Tribunal de Justiça, onde o acesso ao público é controlado. As testemunhas do governador são os secretários Nizan Pereira (Assuntos Estratégicos), Airton Pisseti (Comunicação) e do presidente do diretório estadual do PMDB, Renato Adur. O empresário Darci Fantin não foi arrolado como testemunha. Em nota divulgada na semana passada, o empresário negou ter repassado a informação ao governador.

Às vésperas da audiência, Cila Schulmann teve que contratar um novo advogado. O profissional que vinha acompanhando a ação, Francisco Alpendre, teria sido nomeado para um cargo na Casa Civil do governo. O novo advogado de Cila é Luiz Fernando Pereira, filho do ex-governador Mário Pereira.