O 1º secretário da Assembleia Legislativa, Plauto Miró Guimarães Filho (DEM), anunciou nesta quarta-feira que vai realizar nova licitação para a contratação da empresa que produz o conteúdo da programação da TV Sinal, a emissora oficial do Legislativo. O contrato com a empresa GW, que presta o serviço, venceu no início desta semana e não houve acordo para renovação.

Plauto disse que a Assembleia gasta R$ 700 mil anuais com a produtora dos programas. A transmissão é feita por uma segunda empresa, que também está em fase de negociação do contrato.

Duas outras licitações estão a caminho. Uma delas vai selecionar uma nova escola para administrar a creche destinada aos filhos dos servidores da Assembleia Legislativa. A atual administradora foi contratada este ano, em janeiro, depois de vencer uma licitação realizada no ano passado.

Mas a nova Mesa Diretora descobriu que, no ano passado a escola participou de uma disputa judicial pelo serviço com uma concorrente, com uma proposta de cobrar R$ 350 por criança atendida. Mas em janeiro, venceu a licitação com o preço de R$ 500, segundo Plauto, que decidiu rescindir o contrato.

Outro processo de licitação que está em andamento é o de fornecimento de refeições no restaurante da Assembleia. O contrato já está vencido. Também será realizada uma nova concorrência para a operadora de telefonia, cujo contrato é de R$ 600 mil ao ano.