Na próxima segunda-feira, 3, deputados e vereadores voltam ao trabalho em todo o Estado. Apesar da epidemia da gripe A (H1N1), em Curitiba, a Assembleia Legislativa retoma as sessões em plenário sem nenhuma mudança na rotina, garantiram ontem o presidente da Assembleia Legislativa, Nelson Justus (DEM), e o 1.º secretário, Alexandre Curi (PMDB).

Já na Câmara Municipal de Curitiba, algumas medidas ainda poderão ser adotadas. Embora tenha convocado a reabertura dos trabalhos do segundo semestre legislativo para as 16 horas do dia 3, o presidente da Câmara Municipal, João Claudio Derosso (PSDB), admite que ainda pretende ouvir as lideranças dos partidos e a equipe médica da Casa para ser orientado. “Eu sou político, não sou médico. Então, quero ouvir quem entende do assunto para ver se há algum risco ou não”, disse.

Anderson Tozato
Justus: rotina mantida.

Derosso afirmou que, a princípio, não vê problemas na realização de sessões. “O plenário é grande. O volume de ar é significativo e o número de pessoas que circula pelo plenário é pequeno”, afirmou o presidente da Câmara, referindo-se aos 38 vereadores e seus assessores, os mais assíduos às sessões normais.

As galerias somente recebem público em ocasiões especiais, homenagens ou votações de projetos polêmicos. Para evitar aglomerações de pessoas no local, Derosso decidiu cancelar a homenagem que seria prestada à Polícia Militar do Paraná, às 16h da próxima terça-feira.

Tradicionalmente, os vereadores da capital aproveitam o aniversário da corporação para agradecer o trabalho prestado pelos policiais. De acordo com o presidente da Câmara, nova data será marcada.

Tudo igual

Daniel Caron
Derosso: “Não sou médico”.

Na Assembleia Legislativa, o argumento do 1.º secretário para não adotar a suspensão das sessões é que os 54 gabinetes dos deputados, assim como toda a estrutura administrativa, continuaram funcionando normalmente durante o mês de julho.

O recesso começou no dia 15 de julho. A única diferença, a partir da próxima segunda-feira, é que haverá sessão, comparou Curi. Entretanto, com a volta dos deputados aos gabinetes, o volume de pessoas que procuram por eles costuma aumentar.

Assim como o presidente da Assembleia, o 1.º secretário avalia que a única providência que pode ser adotada é deixar equipes de plantão para prestar esclarecimentos sobre a gripe e as medidas preventivas na portaria, ponto de passagem de todos os visitantes. “Achamos que é o que podemos fazer. Mesmo porque não vemos eficácia em suspender as sessões para impedir a gripe”, disse Curi.