Nani Góis/Assembleia Legislativa
Todos os diretores da Assembleia se reuniram nesta quarta-feira com o presidente da Casa, Valdir Rossoni, e com o primeiro-secretário, Plauto Miró.

 

Aproveitando a suspensão da sessão legislativa o presidente da Assembleia, Valdir Rossoni (PSDB), e o primeiro-secretário, Plauto Miró (DEM), fizeram na tarde desta quarta-feira uma reunião de avaliação com todos os diretores da Casa, em que definiram a revisão dos contratos e das aposentadorias como os próximos passos da reforma administrativa implantada no Legislativo.

A determinação é que os diretores constituam uma autêntica “força tarefa” para intensificar as ações desenvolvidas até agora. “Estamos vivendo um novo momento na Assembleia. As transformações no Legislativo estão apenas começando e precisamos da adesão irrestrita de todos”, disse Rossoni.

Plauto Miró informou que já está chamando todas as empresas que têm contratos em vigor com a Assembleia para renegociar os valores e que já determinou aos diretores a preparação de editais para novas licitações dos serviços cujos contratos estão vencidos.

“Enquanto isso, analisaremos uma a uma as aposentadorias e as contratações posteriores a 1992”, disse o deputado, que informou que, após o pagamento dos salários, na semana passada, com 56 servidores efetivos com os vencimentos cortados, cinco funcionários se apresentaram contestando a suspensão dos pagamentos e apresentando documentos para comprovar a legalidade de suas contratações.

“Também serão analisados caso a caso e, se comprovados que suas nomeações são regulares e que estão trabalhando, voltarão a receber e serão ressarcidos”, disse.

Plauto admitiu, também, ter sofrido muita pressão de servidores da Casa por conta dos cortes nas gratificações. “Foi uma reação que até já esperávamos, mas foi intensa. Faz parte do que estamos nos propondo a fazer. Está cortado”, concluiu.