Enquanto Dilma Rousseff e José Serra usavam seus tempos de resposta para trocar acusações no debate da Record na TV, ecoava na web o tom agressivo do encontro. Políticos, militantes e simpatizantes multiplicavam as vozes dos adversários, cada um puxando a sardinha para a brasa de seu candidato.

Pelo lado petista, uma das vozes mais ativas era a da senadora eleita Marta Suplicy, que acompanhava o embate direto do estúdio. Ela usava o Twitter para reproduzir ataques ao tucano e exaltar o desempenho de Dilma. “Serra agressivo e arrogante. Cruz credo! Dilma está bem assertiva, mas não agressiva. Isto não vai dar certo para Serra”, escreveu Marta em sua conta no microblog, ainda no primeiro bloco.

Nas fileiras tucanas, o outro senador paulista recém-eleito, Aloysio Nunes Ferreira, do PSDB, também não deixava passar em branco as derrapadas da candidata petista à Presidência. “Aqui de casa dá para perceber bem que Dilma é incapaz de raciocinar, falar e gesticular ao mesmo tempo. A TV é uma verdadeira radiografia da alma”, postou Aloysio no Twitter, depois de deixar o estúdio.