O senador José Agripino Maia (DEM-RN), que deve ser eleito nesta tarde como o novo presidente do Democratas, afirmou que o partido terá poucas baixas nos seus quadros por conta da iminente desfiliação do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. O prefeito paulistano deverá deixar o DEM para fundar o PDB nas próximas semanas.

“Não haverá debandada”, afirmou Agripino. “As pessoas falam que o partido está em crise, que está dividido. Mas as pessoas que eram tidas como dissidentes, e que iriam deixar o DEM, vão ficar. Várias delas, inclusive, farão parte da nova Comissão Executiva Nacional.”

O líder do DEM na Câmara, deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), afirmou que os antigos dissidentes que decidiram ficar não serão discriminados na legenda. “Quem ficou será bem agasalhado pelo partido”, disse.