O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, Plauto Miró Guimarães (DEM) anunciou nesta segunda-feira que 26 servidores efetivos da Casa terão seus salários cortados a partir deste mês. Eles não compareceram ao recadastramento de funcionários promovido pela Assembleia há duas semanas e são considerados “fantasmas”

“Muitas pessoas que a gente nunca via aqui, passaram a marcar presença após o recadastramento. Então, esses 26, fatalmente, não trabalham na Casa”, disse o primeiro-secretário.

O recadastramento foi determinado pela Mesa Executiva após denúncias que ainda havia funcionários fantasmas recebendo salários sem trabalhar na Assembleia. Ao todo, 476 servidores se recadastraram. Os 26 “fantasmas” correspondem a 5,5% do quadro de funcionários efetivos da Assembleia.

Plauto disse que os servidores ainda terão uma segunda chance caso, mesmo após terem os salários cortados, apareçam para explicar o motivo da ausência e comprovem que ainda trabalham na Casa. “Pode ser alguém que está afastado por algum motivo ou outro e não pode comparecer, mas não deve ser o caso da maioria”, disse.