Tiros de revólver calibre 38, efetuados à queima-roupa, mataram o promotor de Justiça Marcelo Dario Muñoz Küfner, 33 anos, de Santa Rosa. O autor dos disparos foi o soldado-PM, Heitor José Ávila, 27 anos, que, preso em flagrante, foi encaminhado ao 1º Distrito de Polícia Regional de Santa Rosa para ser autuado.

O flagrante foi lavrado e o policial, que possui antecedentes criminais, está sendo recolhido a um estabelecimento prisional.  O crime aconteceu hoje, após uma ocorrência de trânsito.

Marcelo foi baleado pelo policial militar quando deixava, perto da 1h da madrugada, a sede da Promotoria de Justiça, depois de organizar processos em que iria trabalhar. Ao embarcar no seu automóvel, Marcelo ouviu um estrondo, desceu do carro e atravessou a rua. Verificou, então, o automóvel Monza de placas AAC-1786 colidido contra uma árvore.

Uma viatura da Brigada Militar chegou em seguida e, notando o estado em que se encontrava o motorista, Marcelo se identificou como promotor e pediu ao sargento que atendia a ocorrência que encaminhasse o condutor do Monza para exame de teor alcóolico.

O sargento reconheceu o motorista, que estava à paisana, como policial militar, e perguntou se estava armado. Neste momento, o PM Heitor – que era o motorista do Monza acidentado – sacou um revólver calibre 38, pertencente à BM, e desferiu dois balaços contra o promotor que tombou. O sargento ainda tentou segurá-lo, mas o motorista acabou descarregando o revólver, acertando mais três tiros.