Polícia prende acusados da morte de vice-prefeito em Alagoas

Cerca de 90 homens da Polícia Civil de Alagoas e da Rodoviária Federal (PRF) participaram nesta sexta-feira (23) da "Operação Manguaba", que resultou na apreensão de diversos materiais e na prisão de três suspeitos de envolvimento na morte do vice-prefeito da cidade de Pilar, Gilberto Pereira – o "Beto Campanha", morto no dia 19 de janeiro deste ano. Foram presos o policial civil Alfredo Pontes – o "Alfredinho", Alex Costa Farias de Mello (filho do delegado Angélico Farias) e o reeducando foragido Bruno Gilberto da Silva. Segundo a Polícia Civil, os três são suspeitos de integrar uma quadrilha de criminosos, envolvida com assaltos, pistolagem e grupos de extermínio em Alagoas.

Os presos foram encaminhados para a sede da Polícia Civil de Alagoas, em Jacarecica. Pelo menos 15 viaturas e uma aeronave da PRF participaram da operação. O diretor-geral da Polícia Civil, delegado Carlos Alberto Reis, disse que a operação foi montada há dois dias e teve início às 6 horas da manhã de hoje. "Esse trabalho é fruto da integração das polícias com a Justiça, pois contamos com a ajuda da Polícia Rodoviária Federal, PM e o Núcleo Criminal de Juízes, além do Ministério Público. É uma ação para dar um basta da criminalidade, para que a sociedade alagoana possa respirar de forma tranqüila", disse o delegado.

Carlos Alberto Reis não descarta a hipótese de a quadrilha estar envolvida em outros assassinatos. Segundo ele, outras seis pessoas estão sendo procuradas e podem ser presas a qualquer momento, já que a justiça expediu nove mandados de prisão e apenas três foram executados. "A polícia está espalhada por toda a cidade em 10 equipes de mais ou menos nove homens cada", revelou. Durante as prisões, foram apreendidas armas, munições, coletes a prova de balas, computadores e cheques utilizados pelo bando. Dos três presos, apenas Alex Farias falou com a imprensa e negou participação na morte de "Beto Campanha". O delegado Mário Jorge Barbosa, que investiga o crime, disse que é prematuro citar nomes de supostos mandantes.

Depoimentos

Mário Jorge iria ouvir hoje à tarde os depoimentos de Telma Prado, mulher do prefeito do município do Pilar, Marçal Prado (PSDB), além do presidente da Comissão de Licitação da Prefeitura de Pilar, Genilda Medeiros de Omena, e o ex-secretário de Infra-Estrutura do município, Geraldo Carvalho, mas os depoimentos foram adiados.

Voltar ao topo