A polícia de Curitiba está investigando o desaparecimento da empresária suíça Cristine Pizon Kelli, 34 anos, e seu companheiro, o brasileiro Cristiano Henrique Brandi Camilo, 28. Eles não são vistos desde quinta-feira da semana passada, quando deixaram o Hotel Residence & Serviços, onde estavam hospedados, por volta das 21h30. A polícia foi acionada somente na segunda-feira à noite por parentes de Camilo. “A esperança é encontrá-los vivos”, disse o delegado titular da Delegacia de Homicídios, Agenor Salgado.

A desconfiança de que algo estranho estava acontecendo foi de uma prima do rapaz, que mora em Curitiba. O funcionário de uma revendedora de veículos telefonou-lhe para confirmar se um Escort, que estava sendo vendido para a loja, pertencia a Camilo. Como ele comprara o carro recentemente, visto estar em Curitiba havia cerca de um mês, ela estranhou. Mais tarde avisou um irmão de Camilo, que procurou a polícia.

Segundo o funcionário da revendedora, um rapaz que se identificou como Paulo é quem levara o carro, que estava com o porta-malas sujo de barro. De acordo com o levantamento da polícia, o casal, que mora na Suíça, teria vindo ao Brasil para visitar a mãe de Camilo, que está doente, e para tratar de seu divórcio com a ex-mulher. As diárias do hotel já tinham sido pagas até o fim de dezembro e eles pretendiam viajar para Florianópolis (SC), onde comprariam um apartamento. Como aparentemente tinham muitos dólares e haviam dito que fariam essa compra, eles podem ter sido vítimas de assalto.

A polícia apurou que os dois saíram na noite da última quinta-feira do hotel para se encontrar com uma pessoa de nome Paulo. Hoje, o delegado de Homicídios estava ouvindo os funcionários do hotel, para poder fazer um retrato falado da pessoa que esteve no estabelecimento. Outro fato que tem intrigado a polícia é que um amigo do casal, chamado Jean Francisco, também desapareceu nesta semana. “Não posso dizer ainda que haja alguma relação”, disse Salgado. Cristine é proprietária de uma agência de publicidade em Zurique, na Suíça, com filial em Nova York, nos Estados Unidos.