A cúpula da Polícia Civil de Mogi-Guaçu pediu aos integrantes da corporação que fiquem em estado de alerta para qualquer tipo de movimentação na região da chácara Santa Rita, em Jaguariúna, propriedade de luxo do cantor Chitãozinho, da dupla Chitãozinho e Xororó. O local foi invadido na noite de quarta por cinco homens encapuzados e armados. O cantor não estava na casa, localizada na Rodovia SP-340 (Campinas- Mogi Mirim).

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Mogi-Guaçu assumiu o caso. Segundo informou um policial da equipe de investigação, a DIG já tem algumas pistas dos suspeitos. O policial não informou se eles são de Jaguariúna ou de outra cidade, nem deu detalhes sobre o que já foi apurado pela polícia.

A hipótese de seqüestro foi descartada. "Investigamos o roubo. Os criminosos perguntaram por ele. O fato de não terem certeza dele estar lá já nos leva a crer que eles não planejaram um seqüestro", afirmou o policial, que preferiu não ser identificado.

Os criminosos pularam o muro da chácara e fizeram reféns oito pessoas que estavam no local. Roubaram objetos de valor e fugiram por volta das 2 horas de ontem com jóias, dinheiro, aparelhos eletrônicos, celulares e um Celta, encontrado ontem mesmo em Mogi-Mirim.

As polícias Militar e Rodoviária informaram que as rondas na região continuam no ritmo de antes do ocorrido. Não houve reforço do policiamento. A chácara de Chitãozinho já foi cenário do programa No Rancho Fundo da TV Globo. O irmão, Xororó, mora em Campinas com a mulher Noeli e os filhos Sandy e Júnior. A propriedade, de 1,2 mil metros quadrados de área fica em um condomínio fechado.

A polícia de Campinas investiga a origem de ligações feitas para o escritório da dupla Sandy e Júnior, nas quais um homem exigia R$ 200 mil para não seqüestrar a filha de Xororó. A cantora também teria estado na mira do seqüestrador Wanderson Nilton de Paula Lima, o Andinho, segundo informou uma vítima da quadrilha, em depoimento dado à polícia.