Brasília (AE) – Sem alarde, a Polícia Federal fez hoje (13) uma operação de busca e apreensão de documentos na sede da corregedoria-geral da Receita Federal em Brasília. A operação atendeu determinação do juiz federal da 10ª. Vara no Distrito Federal, Cloves Barbosa de Siqueira, e surpreendeu a cúpula da Receita Federal. O mandado de busca não continha os motivos para a apreensão dos documentos.

Os policiais levaram documentos produzidos pela corregedoria no dia 5 de julho de 2005 por uma comissão de inquérito, que seriam encaminhados ao Ministério Público Federal. A corregedoria é um dos setores mais sensíveis do Fisco porque apura irregularidades praticadas por servidores da Receita Federal e os seus auditores tem acesso à informações fiscais sigilosas.

Uma delegada e quatro agentes da PF chegaram ao prédio da corregedoria às 15h50 e só deixaram o local depois de mais de uma hora. Os documentos apreendidos foram retirados do gabinete do corregedor-geral , Marcos Rodrigues de Mello, que está de férias. Quem recebeu o mandado de busca foi o corregedor-adjunto Luiz Lorenzi, que logo depois do final da operação foi até ao Ministério da Fazenda para uma reunião com a cúpula da Receita.

A apreensão dos documentos da corregedoria ocorre a menos de dois meses do início do mandato do novo corregedor, que substituiu no cargo Moacir Leão. A gestão do ex-corregedor foi marcada por confrontos diretos com o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.