Uma equipe do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) prendeu quatro pessoas, acusadas de traficar drogas na região do Bairro Alto, em Curitiba, para arrecadar dinheiro para presidiários da Penitenciária Central do Estado (PEC). De acordo com o delegado operacional do Cope, Renato Bastos Figueiroa, a polícia cumpriu um mandado de busca e apreensão em 13 casas instaladas no mesmo terreno, na Rua Pedro Elói de Souza.

Em uma das moradias, foram encontradas 375 pedras de crack, de posse de Andréa Bernarda da Conceição, 33 anos. ?Ela foi autuada por tráfico de drogas?, afirmou Figeuiroa. Além de Andréa, um usuário de drogas, de 21 anos, foi detido com uma pedra de crack e um cachimbo.

Após essas prisões a polícia realizou buscas na região e prendeu mais três pessoas. Celso Lopes de Oliveira, 23, conhecido como ?Fiel?, Júlio Florêncio Machado Souza, 27, e Marco Aurélio Cabral, 35, estavam na mesma casa, na Rua Alberi Flores Bueno.

De acordo com o delegado, ?Fiel? é foragido da Colônia Penal Agrícola (CPA) desde 4 de fevereiro deste ano. Ele estava preso por furto, associação para o tráfico e receptação. Souza tinha um alvará expedido pela Justiça para visitar os familiares que expirava nesta terça-feira (03), mas contra ele ainda havia um mandado de prisão em aberto por tráfico e roubo, expedido em setembro de 2002. E Cabral, segundo Figueiroa, também tinha o mesmo alvará para visitar os parentes. No entanto, Cabral deveria ter retornado na segunda-feira (02) para a CPA.

?Nós vamos verificar ainda o mandado de prisão contra Souza. Mas mesmo assim será encaminhado para a Colônia, já que deveria retornar hoje mesmo. Souza também deve voltar para lá, mas Oliveira vai para o Centro de Observação e Triagem?, informou.

O delegado informou que todos os presos nesta ação do Cope são suspeitos de levantar fundos para os detentos presos na PCE. ?Nós vamos verificar, agora, se nos últimos dias, Souza e Cabral cometeram algum crime enquanto estavam em liberdade?, afirmou Figueiroa.

Toda ação iniciou com as investigações do Grupo de Diligências Especiais do Cope, que realizou o levantamento e desencadeou a ação que resultou nas prisões. O delegado contou que a ação começou por volta das 6h e terminou às 10h desta terça-feira (03).