Policiais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, do Batalhão da Polícia Ambiental e Polícia Rodoviária Federal, prenderam, nesta segunda-feira (26), um homem que transportava 150 pássaros escondidos dentro de uma mala de viagem. O paulista José Anderson Costa Souza, 28 anos, foi flagrado dentro de um ônibus que seguia de Curitiba para São Paulo. Cerca de 70, dos 150 pássaros, já estavam mortos quando foram encontrados pelos policiais. Pedro de Souza, 59, foi detido momentos depois, em Colombo, Região Metropolitana de Curitiba, acusado de ter vendido ilegalmente os pintassilgos e canários-da-terra para José Anderson.

A apreensão aconteceu na madrugada, no Posto Rodoviário Federal do Taquari, em Campina Grande do Sul (Região Metropolitana de Curitiba). Os policiais rodoviários pararam o ônibus, fizeram a revista, encontraram os pássaros e chamaram a Polícia Militar Ambiental. ?José Anderson foi encaminhado para a nossa delegacia e, então, fomos atrás da pessoa que vendeu os pássaros para ele?, explicou o delegado Wilciomar Voltaire Garcia, titular da Delegacia do Meio Ambiente.

Com José Anderson a polícia apreendeu o folheto de um aviário localizado na capital paulista, no Jardim Boa Vista. ?Ele confessou repassar os animais para esse aviário. Vou comunicar à polícia de São Paulo para que verifiquem a legalidade desse estabelecimento?, relatou Voltaire. Além do folheto, foram encontrados com José Anderson vários canhotos de passagem de ônibus. ?Estamos investigando quantas viagens ele já fez ao Paraná provavelmente para buscar animais silvestres?, disse o delegado.

Segundo Voltaire, Pedro de Souza estava em liberdade condicional por ter sido flagrado com mais de 200 pássaros. ?Mesmo assim, continuava com a atividade de vender pássaros. Ele é um receptador. Compra de vários caçadores e, quando reúne 150 a 200 pássaros, manda os animais para São Paulo?, contou o delegado.

Os pássaros que sobreviveram foram encaminhados para o Centro de Tratamento de Animais Silvestres (Cetas), da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), para recuperação e posterior retorno à mata.

Punição

Pela Lei de Crimes Ambientais, Anderson será liberado e responderá a termo circunstanciado. Ele pode ser condenado a pagar uma multa de R$ 500 por cada pássaro apreendido, o que equivale a R$ 75 mil. Pode ser condenado ainda a cumprir de seis meses a um ano de prisão. Pedro de Souza também responderá a termo circunstanciado por ter receptado e vendido os pássaros.