O número de poços de petróleo ativos na Venezuela caiu 11% ao longo dos últimos dois meses, de acordo com dados divulgados esta semana pela empresa de serviços internacionais de petróleo Baker Hughes Inc. Os números indicam que a Venezuela está tendo problemas em manter a atividade de extração doméstica. O total de poços ativos da Venezuela recuou para 68 em outubro, de 70 em setembro e 76 em agosto, conforme informações da Baker Hughes. O total de poços de gás natural da Venezuela permaneceu estável em 11 unidades durante o mesmo período.

A estatal Petróleos de Venezuela SA (PdVSA) disse em agosto que arrendou 27 novos equipamentos para extração de petróleo de empresas internacionais e domésticas, mas os números da Baker Hughes indicam que este equipamento ainda não foi colocado em operação.

Em entrevista publicada na sexta-feira no jornal local Panorama, o gerente ocidental da PdVSA, Ricardo Coronado, disse que sua divisão havia acrescentado 6 poços este mês e que houve um "pequeno atraso" no início de operação de poços devido ao apertado mercado global de equipamentos para extração de petróleo. A demanda por equipamento de extração da commodity tem superado a oferta ao longo dos últimos anos, uma vez que os preços recordes do produto impulsionaram o investimento nas atividades de extração.

A PdVSA alega que a Venezuela está atualmente produzindo em excesso 3,2 milhões de barris/dia, enquanto organizações como a Agência Internacional de Energia (AIE) afirma que o país infla seus números de produção de petróleo em mais de 600 mil barris/dia. As informações são da Dow Jones.