A Executiva Nacional do PMDB decidiu, por 12 votos a zero, que a convenção nacional do partido, marcada para 22 de junho, não será realizada por inexistência de candidatura própria à Presidência da República. O presidente nacional do partido, deputado Michel Temer, defensor da candidatura própria, afirmou que a questão está politicamente encerrada no partido. "A tese foi perdendo força aos poucos e hoje, infelizmente, está claro que o partido não quer candidato", disse Temer.

"É claro que essa questão não está encerrada", contestou o deputado Eduardo Cunha (RJ), partidário da candidatura presidencial do ex-governador, Anthony Garotinho. "Descumprir uma decisão judicial não é democrático", acrescentou, referindo-se à liminar que ele obteve na Justiça, na semana passada, obrigando o partido a realizar convenção nacional para tratar de candidatura própria.

Michel Temer disse reconhecer a decisão judicial, mas adiantou que o partido vai recorrer. "Essa decisão invade a autonomia do PMDB. Por isso já pedimos aos advogados do partido que recorram dela", afirmou.