O PL reagiu às declarações do advogado Ademar Gomes, falando em nome da
publicitária Maria Christina Mendes Caldeira, sua cliente, nas quais adiantou
parte das revelações que ela pretende levar ao Conselho de Ética da Câmara, se
for convidada a depor sobre um suposto pagamento de mesadas a parlamentares, em
troca de apoio ao governo no Congresso.

Em nota oficial, a direção do PL
afirma que não corresponde à verdade a informação sobre a existência de "um
esquema de contribuição ilegal para a campanha de Luiz Inácio Lula da Silva à
Presidência da República" com dinheiro do governo de Taiwan.

"Além de não
corresponder aos fatos, a afirmação que envolve o governo de Taiwan carece de
evidências, uma vez que o deputado Valdemar Costa Neto (presidente nacional do
PL, com quem Maria Christina foi casada) esteve naquele país em missão oficial,
a convite do governo, onde foi assessorado por uma diplomata chinesa que serviu
de intérprete", diz a nota.

O texto acrescenta que, embora Costa Neto
jamais tenha negado a existência de relações de amizade com Delúbio Soares,
tesoureiro do PT, "é inverídico afirmar que estas relações são ‘estreitas’ uma
vez que o sr. Delúbio Soares jamais esteve na residência oficial do Partido
Liberal em Brasília, ou em qualquer dos domicílios do deputado Valdemar Costa
Neto".

Segundo a nota, o presidente do PL "não se envolveu e não se
envolve com a suposta compra de apoio de deputados ou partidos políticos, e não
mantém nenhum tipo de relação com agências de publicidade". As acusações contra
Costa Neto foram feitas pelo deputado Roberto Jefferson, presidente licenciado
do PTB, em depoimento prestado, semana passada, no Conselho de Ética da
Câmara.

Não é verdade também, afirma a direção do PL, que tenha sido
usado dinheiro do partido para montar a casa do deputado Costa Neto, em
Brasília. "A casa mencionada é a sede social e residência oficial da presidência
nacional do Partido Liberal que, como provam as prestações de contas registradas
junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foi e é custeada pela conta de
recursos próprios do PL, cujos bens são incorporados ao patrimônio do partido".
Costa Neto, informa a nota do PL, vai interpelar judicialmente o advogado por
suas declarações.