Foto por: Javier Soriano

A imprensa australiana não poupou críticas ao técnico Pim Verbeek pelo 4 a 0 que a seleção levou da Alemanha no domingo, quando os dois países se enfrentaram em Durban.

Como na hora do jogo os jornais de segunda-feira na Austrália já estavam fechados, a edição de terça foi a primeira oportunidade de cair em cima do holandês pelo vexame diante dos tricampeões.

O jornal de grande circulação “Daily Telegraph”, de Sydney, foi o mais ácido de todos, e chegou a xingar o técnico: “Perdemos por causa do equivocado Pimbecil, que ficou por fora do jogo com a estratégia que escolheu”.

O ex-técnico australiano Charlie Yankos jogou no mesmo time do “Daily Telegraph” e também atacou o esquema que o holandês usou em campo: “Não é só porque os alemães são bons que vamos deixar a coisa para eles ainda mais fácil”, diz Yankos, que treinou os Socceroos em 30 jogos na década de 80 e acha que o europeu deve uma explicação aos 10 mil australianos que fizeram a longa viagem até a África do Sul.

“Não brigamos pela bola nem fizemos pressão sobre eles. Parecia que estávamos jogando uma mera pelada”, disparou.

O respeito que Verbeek conseguiu na Austrália por tê-la levado para o Mundial caiu por terra rapidamente após a goleada. O “Townsville Bulletin” se referiu ao técnico como “Sinistro Pim”.

Outro ex-treinador, Les Scheinflug, disse que a derrota “foi de partir o coração”.

“A culpa é toda de Pim Verbeek”, escreveu o “The Austalian”, que acusa o técnico de convocar a seleção errada, sem caráter ofensivo nem tático.