O delegado da Polícia Federal Sérgio Menezes informou que Gabriela Kênia Martins, secretária do presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti, já foi localizada e deve prestar depoimento na tarde desta quarta-feira.

O nome de Gabriela consta de um cheque de R$ 7,5 mil, emitido por Sebastião Buani, que teria sido usado como propina para garantir o funcionamento do restaurante do empresário na Câmara. O dinheiro teria sido exigido pelo então primeiro secretário da Mesa, deputado Severino Cavalcanti.

Em depoimento na última sexta-feira, a secretária negou que o deputado tivesse recebido qualquer tipo e propina de Buani. Por causa disso, Gabriela pode ser indiciada por falso testemunho.

Sebastião Buani acusa Severino Cavalcanti de cobrar propina para manter a concessão de seu restaurante no 10º andar do prédio da Câmara.