A Polícia e a Receita federais já prenderam nesta quarta-feira (16) na Operação Dilúvio pelo menos 79 pessoas acusadas de participar de uma quadrilha que sonegou ao menos R$ 500 milhões em impostos aduaneiros e teve como clientes a butique Daslu e Law Kin Chong, apontado como um dos maiores contrabandistas do Brasil, de acordo com informações da PF e do Jornal Hoje, da TV Globo.

Em São Paulo, 18 mandados de prisão, de um total de 40, já foram cumpridos. Ainda segundo a polícia, a expectativa é de que até o fim da tarde outras 12 pessoas sejam presas. Deflagrada hoje, a ação pretende desarticular o esquema já constatado de fraudes no comércio exterior, interposição fraudulenta, sonegação, falsidade ideológica e documental, evasão de divisas, cooptação de servidores públicos, entre outros ilícitos, cometidos por um grupo empresarial estabelecido em São Paulo e com diversas ramificações.

A Polícia Federal tem apoio da Receita Federal para executar mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal de Paranaguá (PR) e Itajaí (SC) em mais de 200 locais nos Estados do Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro, Pernambuco, Ceará, Espírito Santo e em Miami, nos Estados Unidos. As buscas acontecem em residências dos envolvidos, empresas do esquema, principais clientes, depósitos de mercadorias, escritórios de advocacia e de despachantes e colaboradores.