A presidente da Brasil Telecom, Carla Cicco, foi indiciada pela Polícia Federal por formação de quadrilha e divulgação de segredo (espionagem ilegal), no inquérito do caso Kroll. Com isso ela passa a ser formalmente acusada no inquérito.

Segundo a Polícia Federal, as informações da executiva da Brasil Telecom não acrescentaram nenhum fato novo e nem serviram para invalidar qualquer prova de que ela e o banqueiro Daniel Dantas montaram no Brasil uma rede de espionagem ilegal, contratada junto à empresa de auditoria Kroll para "bisbilhotar" concorrentes empresariais e desafetos pessoais.

Amanhã, Daniel Dantas será intimado para depor no Rio de Janeiro. O depoimento deverá ocorrer ainda nesta semana.