Brasília – A Polícia Federal (PF) fará o cruzamento de 500 ligações telefônicas para tentar chegar aos participantes da tentativa de compra do dossiê contra políticos tucanos. A negociação foi interrompida por uma ação da Polícia Federal que prendeu novamente o dono da Planam, o empresário Luiz Antônio Trevisan Vedoin, o seu tio Paulo Roberto Vedoin, e duas pessoas ligadas ao Partido dos Trabalhadores, o ex-assessor da campanha de Lula, Gedimar Passos, e o ex-filiado Valdebran Padilha. Segundo a PF, a Justiça Federal já autorizou o cruzamento.

Na semana passada, a Polícia Federal de Cuiabá recebeu dados da quebra do sigilo telefônico de 13 acusados de envolvimento na compra do dossiê. As informações são relativas aos dias que antecederam a tentativa de compra do documento, ocorrida no dia 15 de setembro, num hotel de São Paulo. Entre elas, há ligações do telefone celular de Hamilton Lacerda, ex-coordenador de Comunicação da campanha do senador Aloizio Mercadante (PT-SP) ao governo de São Paulo, derrotada no primeiro turno.