Brasília – Trinta e duas pessoas foram presas na Operação Lacraia, da Polícia Federal (PF), que desmontou uma quadrilha que há mais de dez anos cometia fraudes em cartórios, grilava terras, praticava crimes contra o sistema financeiro e a administração pública.

A quadrilha atuava nos estados do Mato Grosso, São Paulo e Goiás, principalmente no cartório do 1º Ofício de Registro de Imóveis, Notas e Protestos da Comarca de Barra do Garças, na região leste do Mato Grosso.

Segundo o delegado chefe da Polícia Federal em Barra do Garças, Eder Magalhães, a ex-tabeliã do cartório é a principal suspeita de liderar a quadrilha. "Todos os outros envolvidos que também foram presos atuavam sob orientação e supervisão desta senhora".

Magalhães disse que o grupo falsificava documentos para grilar terras, usando-os como garantia para obter empréstimos em bancos. O Banco do Brasil e o Bradesco são os principais lesados. A próxima fase da investigação, acrescentou do delegado, vai verificar se há participação de funcionários das instituições no esquema.

A PF já identificou servidores que integravam a quadrilha nos cartórios de Barra do Garças (MT); Pontal do Paranapanema e São José do Rio Preto, em São Paulo; Aragarças, Baliza e Jataí, em Goiás. Corretores de imóveis que aliciavam clientes com interesses em terras griladas também foram identificados.

De acordo com Magalhães, os presos foram indiciados por vários crimes. "Grilagem de terras, formação de quadrilha, falsidade de documento público, falsidade ideológica, uso de documentos falsos, corrupção passiva e ativa, crime contra o sistema financeiro nacional, crime contra a ordem tributária e lavagem de dinheiro. Então, sem dúvida, as penas são muito altas".

Além de documentos falsificados, a Operação Lacraia apreendeu os bens de todos os presos, incluindo veículos, móveis e jóias. As contas bancárias dos acusados também foram bloqueadas para ressarcirmentos futuros.

Os presos, encaminhados à cadeia pública de Barra do Garças, se encontram à disposição da Justiça Federal em Cuiabá. A PF cumpriu 33 mandados de prisão e 38 de busca e apreensão. A operação ocorreu na última sexta-feira (20).