A Petrobras conseguiu reduzir em 6 graus a inclinação da plataforma P-34, que ainda corre o risco de afundar na Bacia de Campos, região produtora no litoral norte do Estado do Rio. No início da noite de hoje, a inclinação da embarcação era de 26 graus e os técnicos da empresa começavam a bombear água para um segundo tanque no interior da plataforma.

A operação deveria durar cerca de 18 horas, de acordo com o diretor-gerente de exploração e produção das regiões Sul e Sudeste, Carlos Tadeu Fraga.

Após o bombeio para o segundo tanque, que tem capacidade de 5 milhões de litros, a empresa parte para a fase seguinte da operação de salvamento: o restabelecimento da energia na plataforma. Daí, começa a retirar parte dos 11 milhões de litros de óleo que estão em seus tanques, a fim de recuperar completamente a estabilidade da embarcação.

O primeiro tanque recebeu 1,8 milhão de litros de água do mar, segundo o executivo, o que provocou a redução do nível de inclinação da plataforma.

Para o presidente do Sindicato dos Petroleiros do Norte-Fluminense, Fernando Carvalho, a notícia da redução do nível de inclinação é boa, mas a entrada de água na plataforma deixa a embarcação mais pesada, o que requer cautela. ?A plataforma está voltando à posição normal aos poucos, mas está mais pesada e com mais risco de afundar?, disse Carvalho.