Cientistas americanos dizem que um peixe anormal "unissex", com características de macho e fêmea, foi descoberto no Rio Potomac e tributários na cidade de Washington e arredores, levantando dúvidas sobre a contaminação de milhões de pessoas que bebem água da rede pública nessas áreas. "Não sei, e não acho que alguém saiba, a resposta à pergunta: o efeito nos peixes é transferível para seres humanos?", disse Thomas Jacobus, gerente-geral do Aqueduto Washington, que filtra a água do rio para os moradores da capital dos Estados Unidos e subúrbios no norte do Estado de Virginia.

Até agora não há notícia de que a água do Potomac seja imprópria para consumo, de acordo com Jacobus e representantes de outros serviços de purificação de água. Seres humanos deveriam ser menos sensíveis à poluição do que peixes, porque têm maior massa corporal e hormônios diferentes. Diferentemente dos peixes, o corpo das pessoas não está imerso na água o tempo todo.

Os primeiros peixes alterados foram encontrados em 2003. Agora, pesquisadores estão achando peixes machos com ovos nos órgãos genitais por toda a região. No mês passado, testes em três tributários do Potomac revelaram que mais de 80% dos machos de uma determinada espécie carregavam ovos.