Municípios da região de Campinas sofreram nesta madrugada com o terceiro ataque do ano protagonizado pelo Primeiro Comando da Capital (PCC). Ninguém saiu ferido e três suspeitos estão presos para averiguação. Como em maio e julho, os alvos foram os órgãos da segurança, casas de policiais e propriedades privadas. Desta vez, os coletivos foram poupados. Não foi apontado nenhum ataque ao transporte de passageiros.

A ocorrência de maior prejuízo material foi no 3º Distrito Policial, em Sumaré. Por volta de uma hora da manhã, desconhecidos jogaram um carro contra o alambrado do prédio, derrubando a porta principal. Depois, atiraram e lançaram bombas de fabricação caseira.

A base da Guarda Municipal de Americana e uma base de Nova Odessa foram atingidas por tiros deflagrados por ocupantes de uma motocicleta. Em Santa Barbara d’Oeste, paredes e vidraças das agências bancárias do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal foram danificadas por disparos de armas de diversos calibres.

Em Indaiatuba, um supermercado foi atingido por disparos de armas de fogo. Em Itapira, cerca de 25 tiros atingiram as paredes da casa de um Guarda Municipal.

O comando da Policia Civil está em alerta. O Departamento de Polícia Judiciária do Interior em Campinas, que coordena dez delegacias seccionais em 90 cidades, está de sobreaviso e poderá ser acionada a qualquer momento, garante o delegado Luiz Henrique Zago. Conforme disse, os casos são isolados e estão sob controle. A orientação é para que a Policia Civil atue em conjunto com a Policia Militar, a Guarda Municipal e o Corpo de Bombeiros. O porta-voz do Comando de Policiamento 2 da Policia Militar, major Hudson Camile, informa que a corporação está estudando a situação e adotando medidas de cautela e de prevenção.