A pauta no Congresso Nacional segue trancada. Na Câmara dos Deputados, o andamento dos trabalhos vai depender da reunião de líderes, nesta terça-feira, segundo o presidente da Casa, Aldo Rebelo.

Pelo menos cinco medidas provisórias (MPs) trancam a pauta, impedindo a votação de outros assuntos. Entre essas MP está a que cria a Super Receita do Brasil, que reúne em um mesmo órgão as secretarias da Receita Federal e Previdenciária.

Aldo Rebelo disse que a desobstrução da pauta vai depender do acordo feito por líderes dos partidos e afirmou que vai encaminhar o que eles decidirem. "É difícil votar alguma coisa que não seja quase consenso, porque o consenso absoluto é difícil. Mas vai depender dos líderes. Eu terei boa vontade para acolher a manifestação deles", afirmou.

No Senado, três medidas MPs trancam a pauta, entre elas a que amplia, até 23 de outubro, o prazo para a entrega voluntária de armas para a Campanha do Desarmamento.

Na Casa, as comissões parlamentares de inquérito (CPIs) e as comissões parlamentares mistas de inquérito (CPMIs) terão, na próxima quarta-feira, um dia cheio. Às 10h, integrantes da CPMI da Compra de Votos ouvem José Luís Alves, que integra a lista de sacadores do empresário Marcos Valério de Souza. Por volta do meio-dia, na CPI dos Bingos, serão confrontadas as versões sobre pagamento de propina para renovação do contrato da Gtech com a Caixa Econômica Federal.

Os depoentes são Waldomiro Diniz, Carlos Augusto Ramos (Carlinhos Cachoeira), Rogério Tadeu Buratti, Enrico Gianelli e Marcos Rovai.