Brasília – O Ministério das Relações Exteriores informa que passa bem a juíza Sandra Aparecida Silvestre de Frias Torres, ferida no último sábado (7) em um assalto na capital do Timor Leste, Dili. Ela é uma das integrantes da missão de observadores brasileiros que acompanha a eleição presidencial do país, marcada para amanhã.

Segundo o ministério, a juíza está em recuperação na casa do embaixador Antônio de Souza e Silva e já se comunicou com a família no Brasil.

Vários focos de tensão têm sido registrados por todo o Timor, aumentando receios de que a eleição provoque nova onda de violência. Desde 23 de março, os oito candidatos percorreram praticamente o país todo em campanha. Intrigas entre candidatos deixaram dezenas de feridos em diversos pontos do país, sobretudo na capital, provocando intervenção das forças internacionais de segurança. Na última quarta-feira, 19 pessoas ficaram feridas. Leia mais ao lado.

Para acompanhar as eleições presidenciais, estão no Timor cerca de dois mil observadores, dos quais 180 são internacionais. O Brasil tem o maior número de representantes entre os integrantes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) ? Timor foi colônia de Portugal.

Oito candidatos concorrem à sucessão de Xanana Gusmão nesta que é a primeira eleição após a independência do Timor Leste, ocorrida em 20 de maio de 2002 – a região permaneceu sob domínio da Indonésia por mais de duas décadas. Devem votar cerca de 520 mil, o que representa pouco mais da metade da população. Dili é a cidade com o maior número de eleitores (99,2 mil), seguida por Baucau, com 60,5 mil.

Os favoritos são Francisco Guterres "Lu Olo" e o primeiro-ministro José Ramos Horta. Os demais concorrentes são Francisco "Lasama" de Araújo, João Carrascalão, Francisco Xavier do Amaral, Manuel Tilman, Avelino Coelho e Lúcia Lobato.