Motoristas que precisam trafegar na Linha Verde, em Curitiba, no período da noite, estão reclamando das faixas de sinalização ao longo de toda a via. O motivo é que as faixas não estão refletindo a luz dos faróis e eles alegam que isso está dificultando a condução do veículo.

O motorista de caminhão Adriano Gonçalves dos Santos é um dos condutores que reclamam da situação. Segundo ele, mesmo com a via bem iluminada, fica difícil localizar onde estão as faixas.

“Sempre tenho dificuldade de dirigir aqui, principalmente à noite e com chuva. Nesses casos, temos que ter a atenção redobrada, pois do contrário podem ocorrer acidentes”, alerta.

Gonçalves dos Santos conta ainda que por causa dessa situação, quase se envolveu em um acidente. “Uma vez, eu sem querer fechei um automóvel porque não estava conseguindo me localizar pela faixa. Se ela tivesse refletido a luz, com certeza não teria passado por essa ocorrência”, garante.

O vigilante Elton Suvetailo também reclama da falta de visibilidade das faixas. Ele alega que precisa utilizar a Linha Verde para se deslocar de sua residência para o trabalho e que a visibilidade não é das melhores.

“Durante o dia não tem problema, mas à noite complica, pois em alguns trechos, onde a iluminação não é tão boa, não se vê nada. Eu trafego aqui com automóvel e moto e vejo o quanto é difícil, principalmente com moto”, relata.

O professor e coordenador do curso de engenharia civil da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Joel Krüger, garante que o uso de material refletivo na sinalização viária é obrigatório. Ele pode ser amenizado nas vias urbanas, mas mesmo assim é importante utilizá-lo.

“Por mais que o local seja bem iluminado, é recomendável que se use material refletivo nas faixas, como, por exemplo, microesferas de vidro. No caso de queda de energia nessa via, seria possível trafegar sem dificuldade”, avalia.

A assessoria da prefeitura de Curitiba informa que a pintura das faixas da Linha Verde é a mesma utilizada em toda a cidade e que está dentro da especificação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

A prefeitura alegou que o laudo de retrorrefletância no trecho entre os bairros Pinheirinho e Vila Fanny não apresentou problemas. O laudo entre a Vila Fanny e a Avenida Marechal Floriano ainda não está concluído.

Caso dê negativo, a empresa responsável pela obra deverá fazer a repintura. A assessoria diz ainda que enviará técnicos ao local para verificar a reclamação dos motoristas.