Cerca de 300 motoristas de vans, a maioria de Curitiba, bloquearam o acesso ao Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, por dez minutos, na manhã de ontem. O motivo do protesto é a nova regulamentação, que proíbe veículos de outros municípios de pegar passageiros que desembarcam no terminal. A lei do município metropolitano, recentemente aprovada, só autoriza carros com placas da cidade a retirar passageiros no local.

Segundo o diretor da Associação de Vans de Curitiba, Marcos Maia, o movimento é a favor da proibição do transporte clandestino no terminal aéreo, mas não pode barrar a prestação de serviços de deslocamento de passageiros por empresas curitibanas. “Estão tirando passageiros de vans de pessoas que têm empresas aqui há 20, 30 anos e impedindo a gente de trabalhar”, disse. Novos protestos não estão descartados.

Normas provisórias

Já o presidente da Associação de Rádio Táxi de São José dos Pinhais, Edenilson Milchevski, confirma que desde o início da fiscalização da nova norma, a situação para os taxistas do município melhorou. Depois dos protestos, representantes dos motoristas de vans de Curitiba, Secretaria de Transportes de São José dos Pinhais e do Ministério Público (MP) se reuniram para buscar acordo sobre a regulamentação do transporte fretado. Ficou decidido que será assinado Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), válido por 90 dias, criando normas provisórias para o transporte até a solução definitiva ao impasse. Assim, motoristas de empresas com sede em Curitiba poderão continuar com os trabalhos durante o período.