A União Nacional dos Estudantes (UNE) promoveu ontem o Dia Nacional de Paralisação e Luta em Defesa da Reforma Universitária. Em diversas regiões do País, estudantes realizaram debates e mobilizações. No Paraná, discussões sobre o assunto devem acontecer nos dias 21 e 22 de maio, durante o Congresso da União Paranaense dos Estudantes (UPE). A previsão é de que o evento seja realizado na cidade de Faxinal do Céu, na região Central, ou em Cascavel, na região Oeste.

?A reforma já vem sendo discutida dentro de cursos universitários oferecidos por instituições localizadas no Paraná. Porém, vai ser o tema central do congresso promovido pela União Paranaense dos Estudantes?, comenta um dos diretores da entidade, Jonivan de Oliveira. Segundo o vice-presidente da UNE no Estado, Arilton Cândido Freres, a reforma universitária é defendida há muito tempo pelos estudantes. A proposta apresentada pelo governo traz muitos avanços, mas ainda necessita de algumas mudanças e acréscimos.

?Com a proposta de reforma, o governo sinaliza o fortalecimento das universidades públicas, prevendo o crescimento de 40% das mesmas até 2011 e regulamentando o ensino pago. Entretanto, também queremos que haja aumento das vagas noturnas em instituições públicas e que um capítulo voltado às universidades estaduais seja incluído na proposta de reforma. A idéia é que seja criada uma forma de financiamento federal voltado às estaduais, consideradas de grande importância na interiorização do ensino superior no Brasil.?

A UNE também defende a adoção de um plano nacional de assistência estudantil – com a criação de um número maior de restaurantes universitários e creches voltadas aos filhos dos servidores públicos; estabelecimento de uma nova lei de reajuste das mensalidades; garantia de eleições diretas para reitor; reserva de 50% das vagas para estudantes oriundos de escolas públicas, afrodescendentes e índios em todas as universidades públicas; e subvinculação de 75% das verbas da educação para as universidades federais.