As três unidades onde era possível alugar bicicletas no Centro Cívico, Jardim Botânico e São Lourenço, estão fechadas desde sexta-feira. Quase dez meses após a inauguração, o serviço foi temporariamente suspenso para que o projeto seja reestruturado. Alegando que operaram o tempo todo “no vermelho”, os responsáveis vão propor novo modelo de gestão à prefeitura.

Segundo Rafael Milani Medeiros, um dos sócios da Bicicletaria.net, o serviço que iniciou as atividades em 10 de novembro de 2012 brevemente entraria em colapso. Segundo ele, a crescente demanda mostrou a necessidade de mais bicicletas, ampliação do horário de atendimento e do número de pontos de retirada/devolução e, principalmente, menores tarifas. “Atender a todas estas demandas aumentam ainda mais os custos do sistema que era sabidamente deficitário desde o seu lançamento”.

Teste

Mesmo cobrando o preço máximo estabelecido em contrato (R$ 5 por hora), o faturamento não cobria os custos. “Se sabíamos que iria dar prejuízo, por que o fizemos? Porque agora sabemos que há demanda e um sistema deste funciona muito bem em Curitiba. Somos uma pequena empresa e mantivemos a continuidade dos serviços durante o período planejado para testes. Daqui em diante não temos mais recursos para subsidiar o sistema na cidade”, explica.

Medeiros afirma que existe possibilidade de parcerias e patrocínio para viabilizar o funcionamento. Reuniões e visitas técnicas apontaram parceiro que opera um sistema em mais de 12 cidades, entre elas Londres, Nova York, Montreal e Melbourne. “As mudanças que estamos propondo é o que faltava para formalização de aporte de recursos que resulte em planos de uso mais atraentes para a população”.

Contrato

A empresa pede automatização de 100% do serviço com contato via call center, operação 24 horas por dia e aumento do número de estações de atendimento para sete. O objetivo é retomar as atividades o mais breve possível. O contrato assinado em 2012 tem validade até 2017, com possibilidade de renovação até 2022.