Professores, técnicos e alunos da Universidade Federal do Paraná Litoral (UFPR Litoral) participaram ontem de uma manifestação em Matinhos. Eles reivindicam passe livre para utilizar o ferryboat e a cessão de três espaços públicos ociosos para transformá-los em centros de ensino, cultura e lazer.

De acordo com o diretor da UFPR Litoral, professor Valdo José Cavallet, a idéia da passeata surgiu durante a semana da integração, que marca o início do ano letivo na instituição.

“Como realizamos muitas atividades em Guaratuba e também temos muitos alunos que ali residem, surgiu a idéia desse protesto. Já havíamos solicitado a gratuidade do ferryboat há três anos para o nosso pessoal, mas nunca fomos atendidos. É oneroso gastar diariamente R$ 5,10 (tarifa paga por automóveis) ou R$ 2,55 (tarifa paga por motos)”, comenta. O diretor diz ainda que, somando todas as pessoas envolvidas com a universidade, gasta-se em média R$ 500 por dia só com a tarifa do ferryboat.

Sobre as obras públicas que não estão sendo aproveitadas, o diretor diz que só falta a Câmara Municipal aprovar a lei para que os espaços sejam cedidos em forma de comodato para a instituição.

“Nós queremos transformar o centro de convenções, o ginásio municipal e o antigo fórum da cidade em um espaço de artes, concha acústica e centro de artesanato, respectivamente. Esses espaços não vêm sendo aproveitados pela população local. O pedido foi feito há quatro meses e estamos aguardando a decisão dos vereadores”, diz. Ainda segundo o diretor, a UFPR Litoral já possui, inclusive, os recursos para as reformas e adequações necessárias para a utilização dos locais.