O Corpo de Bombeiros deu mais de 16,8 mil advertências e fez pelo menos 318 salvamentos nas praias e rios do litoral paranaense durante a Operação Verão, desde o dia 20 do mês passado até ontem. Três pessoas morreram afogadas no período. A imprudência dos banhistas ainda é a maior responsável pelas situações de risco. Quem quer se refrescar deve prestar atenção e obedecer aos avisos sobre perigo do guarda-vidas.

O tenente Ezequiel Siqueira, do Corpo de Bombeiros, ressalta que o número de salvamentos vem diminuindo a cada temporada. Mas os veranistas ainda não prestam atenção na sinalização ou simplesmente ignoram o perigo. “A gente percebe esta falta de atenção e de percepção do risco. Mesmo com a sinalização, às vezes o guarda-vida é obrigado a ir até o local e apitar para fazer a advertência sobre a situação de risco. Quando as pessoas se aproximam, ele repassa as orientações de segurança”, comenta.

Segurança

O veranista está mais relaxado durante o período de descanso, mas não pode nunca se desligar do cuidado com a segurança. Para as férias não acabarem em tragédia, o Corpo de Bombeiros pede para que os banhistas fiquem em áreas que têm a cobertura do guarda-vida, entre 8h e 20h. “Também pedimos que as pessoas prestem atenção nas cores das bandeiras sobre o perigo no mar. Não se deve entrar no mar no horário fora da cobertura dos guarda-vidas”, salienta Siqueira. Em hipótese alguma o veranista deve entrar na água se estiver alcoolizado ou com algum problema de saúde.