As obras na Avenida João Gualberto estão em ritmo rápido e a previsão é que estejam concluídas, já com as estações em funcionamento, até o fim de outubro. A avenida está ganhando faixa de ultrapassagem de biarticulados, desta vez nas quadras das estações Maria Clara, Moisés Marcondes, Gago Coutinho e Antonio Cavalheiro, o que vai permitir a implantação da terceira linha do Expresso Ligeirão, a partir do terminal Santa Cândida.

Retomadas a partir do início deste ano, as obras incluem adequação de drenagem, estrutura de sustentação e base das estações, nova pavimentação, calçadas, rampas e faixas de travessia elevada, além da pista de ultrapassagem dos ônibus, que ocupa o espaço das estações que foram relocadas. O recape, em toda a extensão da avenida, é feito com o chamado asfalto ecológico, que tem sucata de borracha em sua composição.

Para reduzir o impacto no trânsito do entorno, os trabalhos são feitos quadra a quadra. Nestes trechos, o ônibus Expresso sai da canaleta e trafega, temporariamente, na pista para carros – o que vem acontecendo agora no trecho entre as ruas Mauá e Moisés Marcondes. Além de ser feitas por trechos, as obras também acontecem em quadras intercaladas para evitar a desativação de estações vizinhas.

Além das obras de pavimentação, também as estações que estão desativadas devem ficar prontas dentro de pouco tempo. Até o fim de setembro, voltam à operação as estações Antonio Lago, Maria Clara e Joaquim Nabuco. E até o fim de outubro, ficam prontas as estações Gago Coutinho e Antonio Cavalheiros. A pavimentação do outro trecho da obra, na Avenida Sete de Setembro, deve estar terminado até o fim de novembro.

As obras, numa extensão total de 11 quilômetros nas avenidas Paraná, João Gualberto e Sete de Setembro, fazem parte do projeto de desalinhamento das estações tubo – que deixam de ficar frente a frente, abrindo espaço para uma pista extra, permitindo a entrada do Ligeirão Norte, que vai transportar 50 mil passageiros por dia.

O Ligeirão Norte fará um trajeto de 11 quilômetros com apenas oito paradas e tempo de viagem de 25 minutos, uma redução de 15 minutos em relação ao Expresso vermelho que faz 16 paradas.