A população de Antonina, no litoral do Estado, está aflita com a não-abertura do trapiche municipal, considerado o único acesso público da cidade para embarque e desembarque de passageiros via transporte marítimo. A estrutura foi fechada há cerca de quatro meses, por apresentar falta de segurança e necessitar de reformas. Há preocupação de que o fato possa prejudicar o turismo na cidade durante a temporada de verão.

No último dia 11, integrantes do Conselho Municipal de Turismo (Contur) e da Colônia de Pescadores de Antonina entregaram à Prefeitura um abaixo-assinado solicitando a restauração imediata do trapiche. ?O trapiche é fundamental para o turismo de Antonina. Sem ele, não é possível promover a pesca turística, a pesca esportiva e os passeios de barco?, comenta o integrante do Contur e proprietário de agência de turismo, Eduardo Nascimento. ?Além disso, os turistas circulam pelo trapiche para observar o mar, o Pico Paraná e o casario antigo da cidade.?

Na opinião do presidente da Colônia de Pescadores, Rodinegues Cordeiro Valdana, o trapiche é o cartão-postal de Antonina e a única estrutura pública que pode ser utilizada pelos pescadores da região. ?A interdição prejudica não apenas o turismo, como também dificulta o trabalho dos pescadores das ilhas da região. Além da reforma do atual trapiche, pedimos até que sejam construídos outros. Assim, em casos de eventualidades, não ficamos sem opção?, diz.

Rodinegues acredita que não há condições de o trapiche ser aberto ainda nesta temporada. Por isso, sugere que a Prefeitura faça ?pelo menos uma outra passarela de acesso até o flutuante, que está em melhor estado?.

Prefeitura

A Prefeitura de Antonina, através de sua assessoria de imprensa, informa que já existe um projeto de restauração do trapiche. O mesmo será realizado graças a uma verba de fundo perdido cedida pela Secretaria de Estado do Turismo. A reforma do trapiche, segundo a assessoria, é de responsabilidade do governo do Estado. A Prefeitura tem como função a manutenção do lugar. A expectativa é de que a licitação para início das obras seja lançada em janeiro e que as mesmas sejam concluídas após o mês de abril.