Teste aplicado em 608 municípios.

Mais de 1,5 milhão de estudantes participaram ontem da 7.ª edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), entre eles 78 mil alunos do Paraná. O tema da redação foi “Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação”. Os estudantes tiveram que analisar uma charge e três textos que apresentavam opiniões diferentes sobre o tema, além de trechos da Constituição Federal. Logo após o término das provas o gabarito já estava disponível no site do Ministério da Educação – MEC (www.mec.gov.br) e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep (www.inep.gov.br ).

Segundo a assessoria de imprensa do Inep, as provas transcorreram com tranqüilidade nos 608 municípios do País. Os portões de acesso aos 2.323 locais de testes foram fechados às 13h e os alunos tinham até as 18h para concluí-las. Além da redação, tiveram que responder a 63 questões de múltipla escolha. Os cadernos de provas foram apresentados em quatro cores diferentes (amarelo, verde, branco e rosa), sendo que cada caderno trouxe as mesmas questões ordenadas de diferentes formas.

Conhecimentos

Segundo o coordenador nacional da prova, Dorivan Ferreira, este ano o Enem atraiu 60% dos estudantes que estão concluindo o ensino médio. Além de testar os conhecimentos adquiridos durante a vida estudantil, os alunos têm outro bom motivo para participar do Enem. Hoje, 455 universidades de todo o País, sendo 52 públicas, já utilizam os resultados em seus vestibulares. O governo federal pretende ainda ampliar a oferta de vagas no ensino superior, aprovando até o fim do ano o sistema cotas. A nota do Enem será uma das portas de entrada.

Em Porto Alegre, o ministro da Educação, Tarso Genro, e o presidente do Inep, Eliezer Pacheco, visitaram o Instituto de Educação General Flores da Cunha, onde 810 alunos estavam inscritos para fazer a prova. Segundo Tarso Genro, o objetivo do Ministério é a ampliação do uso do Exame. “Desejamos que o Enem se transforme, cada vez mais, no principal instrumento para o acesso ao ensino superior no País.”

Resultados

Cada participante receberá, a partir do dia 16 de novembro, no endereço indicado no ato da inscrição, o Boletim Individual de Resultados. Constarão, nesse boletim, duas notas: uma para a parte objetiva da prova e outra para a redação e, ainda, uma interpretação dos resultados obtidos para cada uma das cinco competências avaliadas. Os alunos que informaram o número do CPF na ficha de inscrição terão acesso exclusivo pela Internet ao Boletim Individual de Resultados.

Presidiários fazem provas

Pela quinto ano consecutivo o Enem é realizado nas unidades prisionais do Paraná. Atualmente, 1.780 presos estudam desde os níveis de alfabetização ao ensino médio, com professores do Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (Cebeja) Dr. Mário Faraco. De acordo com a diretora do programa, Rosemari Carneiro Pieprochinki, o preso que estuda diminui um dia da pena, para cada 18 horas de curso. “Uma vez inscritos, eles têm boa freqüência nas aulas e percebem a importância dos estudos para sua ressocialização”, completou.

Para o secretário da Justiça e da Cidadania, Aldo Parzianello, a oportunidade de os presos estudarem possibilita “melhores condições futuras no mercado de trabalho e noções de valores, que muitos não tiveram anteriormente”.

As unidades onde aconteceram as provas são: Colônia Penal Agrícola (CPA), Penitenciária Central do Estado (PCE), Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP), Prisão Provisória de Curitiba, no Ahu (PPC) e Penitenciária Feminina de regime Aberto e Fechado. O Enem também foi aplicado nas unidades internas da Fundação de Bem-Estar do Menor (Febem) de São Paulo e Rio de Janeiro.