O Terminal Metropolitano do Guaraituba vai servir a população de Colombo e região no mínimo pelos próximos 20 anos. Com essa previsão, o governador inaugurou na manhã deste sábado (29) a mais nova estação de passageiros do sistema integrado de transporte coletivo da Região Metropolitana de Curitiba. Requião pediu desculpas pelo atraso no funcionamento.

Os primeiros ônibus começaram a sair do Guaraituba, em direção ao Terminal Alto Maracanã, ainda em Colombo, e ao Terminal do Cabral, em Curitiba, às 5 horas. Ao todo, são 13 as linhas em operação de acordo com o convênio firmado entre a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), que construiu o terminal, e a Urbs, órgão da prefeitura da capital que gerencia o sistema integrado. São ônibus alimentadores, linhas tronco e ônibus ligeirinhos que fazem a ligação direta com a capital.

Cabral

Segundo o secretário do Desenvolvimento Urbano, Forte Netto, o Guaraituba recebeu cerca de 40% do movimento do Alto Maracanã, onde também neste sábado entrou em operação uma ala inteiramente ampliada. Forte Netto anunciou, ao mesmo tempo, que o governo do Estado vai investir R$ 6 milhões na reconstrução do Terminal do Cabral, que é do município de Curitiba, “de modo a melhorar cada vez mais o sistema integrado em benefício da população”.

Capacidade

O Guaraituba tem capacidade inicial para atender mais de 40 mil passageiros por dia Tem 2.637 m² de área coberta e ocupa um terreno de 8.718 m².Tem 17 plataformas para ônibus, além de uma área de 257 m² para comércio e serviços. A obra, construída pela Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), órgão vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Urbano (Sedu), dentro do Programa de Integração de Transportes (PIT), custou R$ 2,6 milhões, com investimentos diretos do Governo do Estado e financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Opiniões

Para a diarista Idalina Silva acabou o sufoco de acordar muito cedo e fazer baldeações para chegar a Curitiba. “Agora pego o ônibus aqui mesmo no Guaraituba e vou direto para o trabalho, sem passar pelo Alto Maracanã. O terminal é o melhor que podia ter acontecido para o bairro”, disse.

E o estudante Rafael Lourenço, 18 anos, que fez uma viagem direta entre o Guaraituba e o Terminal do Cabral logo no início da manhã, garantiu que tudo ficou fácil e tranqüilo. “Não de perde mais tempo”, assinalou.