Foto: Thiago Reginato/O Mensageiro

Os 30 milímetros de precipitação garantiram um aumento de 4 l/s na vazão do Rio Alegria.

O volume de chuva acumulado em Medianeira, oeste do Paraná, no dia de ontem, pôs fim, ao menos por ora, ao racionamento de água que havia iniciado na noite da última sexta-feira. Os 30 milímetros (mm) de precipitação garantiram um aumento de 4 litros por segundo (l/s) na vazão do Rio Alegria, que abastece o município. Somado ao volume de água fornecido por um poço aberto pela Sanepar na última segunda-feira, a cidade de 36.700 habitantes passou a contar com um volume de água de 130 l/s, pouco menos que o volume disponível antes da estiagem (140 l/s).

Porém, segundo o gerente regional da Sanepar em Foz do Iguaçu, Sérgio Caimi, se a economia de água não for mantida e a chuva não se repetir em duas semanas, a cidade corre riscos de voltar ao racionamento. ?As campanhas de economia da água continuam. Com a previsão de chuvas significativas apenas para setembro, temos que segurar o consumo ao máximo?, diz.

O volume expressivo de chuva em Medianeira – também choveu significativamente em Palotina – traz a esperança de que em Curitiba e região a estiagem seja amenizada. O Instituto Tecnológico Simepar previa chuvas a partir da madrugada de hoje para a Grande Curitiba, porém a meteorologista Sheyla Paz acredita que os reflexos serão sentidos apenas na agricultura, com a umidificação do solo castigado, e na umidade do ar – ontem na casa dos 30% na capital paranaense. ?Não há como prever o volume de chuva que vai atingir Curitiba. Mas pela atuação da frente fria, a precipitação deve vir em forma de pancadas, de modo irregular?, diz.

A Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional, preveniu sobre a ocorrência de chuvas fortes no Estado, com possibilidade de granizo. Para hoje, a previsão meteorológica indica que os temporais, com raios e ventos de até 70 quilômetros por hora (km/h), poderão ocorrer de forma isolada no oeste, centro e sul do Paraná. Por isso, a Sedec recomenda que a população evite a permanência em áreas sob risco de alagamentos, deslizamento de terra e escorregamento de pedras, como zonas ribeirinhas, baixadas, morros e encostas. É aconselhável também que o cidadão busque abrigo em locais que ofereçam proteção contra raios e ventos fortes.

Racionamento

Se chover em Curitiba na mesma proporção de Medianeira, por pelo menos dois dias, o gerente da Sanepar para Curitiba e Região Metropolitana, Antônio Carlos Gerardi, acredita que não sejam necessárias mudanças no racionamento. ?Essa avaliação só poderemos fazer na sexta-feira, quando a frente fria que traz a chuva deve seguir para o oceano?, diz. Caso o volume de chuva não seja suficiente, as mudanças no racionamento, que consistirão na ampliação do corte do fornecimento em todas as regiões, só serão anunciadas na segunda-feira.