Ecologicamente correto, briquete substitui o carvão

Tendo como matéria-prima a serragem, um novo produto, considerado ecologicamente correto, surge para substituir o carvão mineral e a lenha. Há cerca de seis meses, o chamado briquete vem sendo fabricado pela empresa paranaense Winimpote S.A, que tem sede no município de Imbituva, na região de Ponta Grossa.

Segundo o atendente comercial da empresa, Januário Junqueira da Silva, a serragem, adquirida de diversas serrarias do Estado, é transformada em briquete através de um processo conhecido como briquetagem. Ele começa quando a matéria-prima passa por uma limpeza, quando são retiradas as impurezas. Em seguida, vem a lavagem e a secagem, que devem ser uniformes e feitas em cilindros de alta temperatura, para que o produto possa ser compactado. “Nas serrarias, a serragem é um transtorno. É um material que se acumula e não se decompõe, tendo de ser destruído com fogo. Com isso, estamos dando um destino ecologicamente correto a ele”, comenta Silva. As serragens mais aproveitadas no procedimento são de araucárias, perobas e eucaliptos.

Queimado, o briquete é inodoro e não produz muita fumaça. Também não necessita da utilização de qualquer tipo de produto químico ou equipamento especial. “O briquete tem poder calórico 2,5 vezes maior que a lenha e cinco vezes maior que o carvão. Além disso, não é de combustão espontânea, o que evita acidentes.” Outras vantagens apontadas por Silva: o briquete é mais higiênico que a lenha; tem fácil manejo; menor necessidade de estoque; a temperatura se eleva rapidamente, devido à baixa umidade; não danifica a fornalha durante o abastecimento; possibilita o fim da queima de resíduos. e é totalmente reciclado e ecológico. “O briquete já vem sendo conhecido como lenha ecológica. A queima de cada saco de seis quilos evita que duas árvores tenham que ser abatidas”, diz Silva.

Utilização

O briquete pode ter uso doméstico, em churrasqueiras e lareiras, ou comercial, em caldeiras, churrascarias e fornos de pizzarias. “Cerca de dez churrascarias e vinte pizzarias da capital já utilizam o produto”, conta. “A tonelada custa entre R$ 170,00 e R$ 180,00. Para o uso doméstico, ele é vendido em pacotes de seis quilos, que custam cerca de R$ 5,00.” O briquete já pode ser encontrado em diversos estabelecimentos comerciais de Curitiba. “Ele também está sendo levado para o interior do Estado, Santa Catarina, São Paulo e Miami, nos EUA”, afirma.