Copel / Divulgação
Copel / Divulgação

Queda de eucalipto sobre linha alimentadora deixou 2,2 mil
consumidores sem energia.

Depois de um fim de semana chuvoso e com muitos estragos em todo o Estado, o sol deve predominar durante toda a semana, porém entre muitas nuvens. De acordo com o Instituto Tecnológico Simepar, a partir de hoje a chuva deve diminuir gradativamente a partir do Nordeste do Estado até cessar em grande parte das regiões, retornando somente na sexta-feira. Porém, o tempo fica nublado em Curitiba e no litoral no Estado. O sol aparece em Foz do Iguaçu e Palmas. Em Londrina, Maringá, Cascavel e Ponta Grossa, o sol fica entre nuvens. As menores temperaturas previstas ficam em 4º C, em Palmas, e 7º C, em Cascavel.

O Simepar informou que os maiores volumes de chuva registrados no domingo foram em Palmas (108,8 milímetros), Pato Branco (93,2), Guaratuba (71,8) e Curitiba (51). O volume de água foi suficiente para causar vários acidentes, além de quedas de árvores, casas destruídas, alagamentos e desmoronamentos. Em Guarapuava, Centro-Sul do Estado, a dona-de-casa Eva Corrêa, 38 anos, morreu na tarde de domingo, quando a casa em que morava foi atingida por um deslizamento de terra.

Mais de 540 mil domicílios ficaram sem energia por períodos diferentes de tempo. Ainda ontem equipes da Companhia de Energia Elétrica do Paraná (Copel) mantiveram-se mobilizadas para dar conta das solicitações de reparos ainda pendentes.

Em Curitiba, cerca de 100 mil pessoas ficaram sem energia elétrica por várias horas no domingo. O caso mais grave aconteceu no Alto da XV, onde um eucalipto caiu sobre uma linha alimentadora quebrando dois postes e tirando de prumo outros dois e derrubando um trecho de 130 metros de rede compacta, além de romper a fiação da rede de baixa tensão. O incidente aconteceu às 16h48 e atingiu de imediato 2,2 mil consumidores. Às 18h26, quase 90% dos domicílios foram religados. No entanto, 247 consumidores tiveram de aguardar pela normalização do atendimento até as 5h de ontem.

Ao todo, 36 bairros de Curitiba, incluindo a região central, tiveram em algum momento problemas no fornecimento de energia elétrica. Além da capital, passaram por desligamentos 63 mil consumidores de municípios ao sul e norte da cidade. No Centro-Sul paranaense, 147 mil domicílios tiveram desligamentos. Os problemas maiores concentraram-se nas regiões de Ponta Grossa, Castro, Tibagi, Telêmaco Borba e Jaguariaíva. De acordo com a Copel, os ventos fortes e a chuva intensa foram os responsáveis pelos estragos no sistema elétrico.

Chuva

Segundo a Central de Operações do Corpo de Bombeiros da capital, muitas árvores caíram, destruíram casas e derrubaram fios de energia. Os bairros do Boa Vista e Pilarzinho foram os mais atingidos. Na Rua Eugênio Flor, no Pilarzinho, um eucalipto destruiu a residência da auxiliar de cozinha Maria Madalena Felisberto, de 32 anos. Na Estrada da Graciosa, uma árvore caiu sobre os fios de energia bloqueando a via.

Em Ponta Grossa, houve um ponto de alagamento e uma casa foi destelhada. Em Londrina, nove residências foram destelhadas e oito árvores caíram em rodovias. Jacarezinho teve a situação mais crítica: às 22h do domingo, o granizo e a chuva ocasionaram dois desmoronamentos, de uma casa e um muro, mas não houve vítimas. Cinco árvores caíram e seis residências ficaram destelhadas.

Em Telêmaco Borba, onde houve chuva e vento fortes, 18 casas ficaram destelhadas. Na manhã de ontem, o Corpo de Bombeiros ainda trabalhava no reparo desses estragos e não puderam atender, prontamente, as ocorrências que também foram intensas em Ortigueira. Segundo o CB, somente à tarde seria enviado efetivo para o município vizinho. Em Rio Negro, 10 pessoas tiveram que deixar suas casas por causa do alagamento, mas já retornaram.