A insegurança presente nas grandes cidades está fazendo com que um número cada vez maior de pessoas procurem recursos para proteção. Porém, muitas vezes os sistemas instalados em casa para dar segurança acabam gerando riscos aos próprios familiares, vizinhos e mesmo animais de estimação.

Segundo o major da Polícia Militar Roberson Luiz Bondaruk, qualquer recurso é válido como barreira entre a casa e os ladrões. Mas é importante tomar alguns cuidados para evitar que o sistema escolhido se torne uma ameaça aos moradores. “Se determinados sistemas forem instalados de forma inadequada, podem acabar ferindo inocentes, como uma criança ou mesmo um adulto distraído”, afirma.

Muito utilizados, os cacos de vidro colocados sobre os muros e as grades pontiagudas são considerados bastante eficientes. Entretanto, o ideal é que eles estejam fora do alcance das pessoas. “O mais indicado é colocar os cacos de vidro apenas em muros altos. O mesmo vale para as grades, que devem ter pontas apenas numa parte bem superior. Geralmente indica-se que esses recursos sejam instalados a no mínimo dois metros do chão”, diz o major.

O mesmo vale para cercas eletrificadas. Nesse caso também é aconselhável colocar placas em locais visíveis indicando a presença de corrente elétrica. As cercas de arame farpado, muito utilizadas em grandes propriedades, não apresentam riscos de morte. Mesmo assim, é importante não deixar arames esticados, que podem resultar em ferimentos leves em pessoas mais desatentas. “Principalmente em locais mais pobres, é muito comum que as pessoas utilizem o arame farpado para pendurar roupas. Isso é totalmente desaconselhável, pois as roupas escondem o perigo.”

Algumas plantas – como a coroa-de-cristo e a primavera – possuem espinhos e, por também serem de boa aparência, acabam sendo utilizadas ao longo de cercas e muros como forma de proteção das residências. Para evitar danos a crianças, é bom alertá-las sobre a presença dos espinhos e fugir das plantas venenosas, que podem causar irritações na pele.

Cães

Alguns cães são considerados grandes guardiães da casa. Porém, não é qualquer cachorro que pode ser utilizado como animal de guarda. De acordo com o proprietário da empresa de cães de aluguel Dog Alerta, de Curitiba, Carlos Roberto de Castilho, pessoas em busca de proteção devem adquirir raças específicas – como rotweiler, pastor alemão ou belga e lobo argentino – além de tomarem certas providências para evitar que inocentes acabem sendo atacados.

O ideal é adquirir um animal ainda filhote, fazer com que ele conheça toda a família, não fique em locais onde possa fugir para a rua através de vãos e possa ter adestramento adequado a partir dos oito meses de vida. “O adestramento pode fazer com que o cão aprenda a não aceitar alimentos de pessoas estranhas (que em caso de ladrões pode ser veneno) e a obedecer alguns comandos, evitando ataques despropositais”, comenta Carlos.

Outra tática utilizada com freqüência por assaltantes é jogar uma cadela no cio dentro da propriedade para distrair os cães machos. Nesse caso, o melhor é ter uma fêmea ou mesmo um casal de animais.